Você já parou para pensar no artista, e em sua página? Eu costumo acompanhar diversos artistas e suas páginas, mas tem uma em especial que me encanta. A página Aquele Eita. A artista transmite a sensação de paz por meio das suas ilustrações, como se você estivesse encontrado, finalmente, a solução para todos os seus problemas e se pudesse descansar depois de três dias sem dormir. Acalmando a ansiedade.

A artista por trás da página tenta passar para o seu público um pouco mais de esperança e paciência. Fazendo algumas tirinhas com trechos de textos de alguns escritores(as) das redes sociais atual. Ou seja, a página é muito moderna. E não deixa de ser encantadora a forma de seus traços, da sua simplicidade, com o trabalho de um, completando outro.

 

 

Acompanhar Aquele Eita, para mim, é como conseguir uma carga de esperança, podendo depositar confiança. Já que a artista por trás da página se preocupa com seus seguidores, leitores. E as ilustrações vêm ganhando espaço cada vez mais, pela sua facilidade de transmitir sentimentos.  Claro que desenhar, ilustrar não é fácil, é uma das artes mais difíceis que há. Mas a facilidade, a capacidade de expressar algo é maravilhoso!

Tem coisas que há no Aquele Eita, que fico de boca aberta, porque é o que estou passando no momento. E lá tem a resposta de como passar, de como enfrentar essa barra. De como conseguir segurá-la. É libertador me deparar com uma postagem dessa página logo pela manhã, comendo um pão quentinho.  A arte vem das expressões, e tudo há literatura, algumas vezes não precisa nem ter palavras.

 

 

Luan FH. Escritor, escorpiano, ama bandas indies brasileiras.

Escritor das páginas Recíproco e Um Rabisco e Um CAfé.