PÁPRICA FOTOGRAFIA/DIVULGAÇÃO (foto: PÁPRICA FOTOGRAFIA/DIVULGAÇÃO)

 

Segundo a ANCINE (Agência Nacional de Cinema), o número de produção audiovisual cinematográfica bateu record desde 1995, com 158 filmes lançados. O problema é que a arrecadação financeira para essas produções foi menor que em 2016. O desinteresse pela produção local é o principal fator.

O número de público nas salas de cinema para filmes nacionais despencou 42,8% de 2016 para 2017. Esse número estava em crescimento há três anos. 17,4 milhões de espectadora assistiram filmes brasileiros nos cinemas, o que gerou uma renda total de R$ 241,4 milhões. Apesar de serem valores altos, a fatia do Brasil nisso tudo foi de apenas 8,9% em relação aos estrangeiros no total de bilheteria arrecadada no ano.

Outro dado que também assusta, é que entre os 20 filmes mais vistos no Brasil em 2017, apenas um deles é brasileiro: MINHA MÃE É UMA PEÇA 2, com 5,2 milhões de espectadores e um lucro de bilheteria que passa os R$ 73 milhões.

 

(Fonte: UAI)