18472368_1269269379837035_1615641041_o

 

É verídico que todas a artes estão envolvidas, e também é fato que o brasileiro tem uma forte ligação com os portugueses. Nessa exposição, que é feita de ilustrações da portuguesa Christina dos Santos baseado nas obras literárias (poesias) dos autores paranaenses, Aldo Moraes e Valdir Rodrigues, podemos perceber o quanto essas ligações são intensas.

O projeto tem apoio do Instituto Cultural Arte Brasil de Londrina, Mundo do Sr. Bugiganga de Cambé, Blog Entre Laçada e Editora Sul Real de Olhão – Portugal. A exposição teve apoio da FUNCAC – Fundação Cultural e Artística de Cambé e Biblioteca Pública Municipal de Cambé.

A exposição estará aberta a visitação até o dia 18 deste mês, no horário das 8h até as 18h. A exposição está acontecendo na Biblioteca Pública de Cambé e foi aberta pela primeira vez no dia 4 deste mês.

Conversamos com o poeta Valdir Rodrigues e também com a artista plástica. A seguir, veja as entrevistas na íntegra.

 

Para começar, gostaria que você falasse um pouco sobre seu trabalho como poeta, ator, diretor de teatro e Dramaturgo, e também um pouco sobre Christina dos Santos.

Valdir Rodrigues: Meu trabalho começou bem cedo no teatro amador, a busca constante e pesquisa para realizar um teatro brasileiro com conteúdo e de qualidade, fez e me transformou no que sou hoje, utilizo a linguagem teatral para transmitir uma mensagem, um grito de liberdade, uma ajuda, um apoio e muitas vezes, respostas a alguma pergunta. Depois de anos de pesquisas, tanto na poesia como no teatro, criei e desenvolvi um etilo chamado Neo Romantismo, divulgado e apoiado na Europa. O Neo romantismo é uma mistura do romantismo lírico épico com o romantismo contemporâneo, onde o dramaturgo ou o poeta, tem que criar sua própria poética, uso de hipérboles, metáforas, valorizando o texto, com começo, meio e fim, convidando todos a entrar num mundo de criatividade, com ações dramática e eloquência. Hoje meu trabalho como professor de teatro, se mistura ao trabalho do Neo romantismo, comedia Commedia dell’arte e psicodrama! A Christina dos Santos, tem grande trabalho artístico na Europa, ela é lusodescente, tendo nacionalidade francesa e portuguesa, pois nasceu na França. Conheci a Christina através de um blog que tenho, juntamente com artista plástico português José Bivar, que também está frente da Editora Sul Real em Portugal. Criamos o blog para intercâmbio cultural entre Portugal e Brasil e divulgação dos artísticas portugueses e brasileiros, o lançamento do meu livro de poesias ilustradas “Brilho” em setembro de 2016 e a exposição Entre Laçadas, já são resultados do blog. A Christina é uma grande ilustradora, então, tivemos a idéia de fazer a exposição juntos, eu, a Christina e o meu amigo Maestro e poeta Aldo Moraes.

 

Quais sãos as mensagens dos poemas?

Valdir Rodrigues:  Mensagens sobre a paz interior, o amor, a união, levando o público a uma reflexão sobre a vida, onde sempre vamos rir e chorar, ter momento e “desmomentos”, sempre vamos ter uma alegria e uma tristeza, mas, que devemos ter fé e acreditar, nunca desistir, pois, entre as triste e alegrias, o que fica são Lágrimas que Sorri.

 

Como será feito as ilustrações a partir das poesias?

Christina dos Santos: As imagens são janelas visuais para a imaginação fluir tal como as palavras alinhadas são pontes que levam à sabedoria e à compreensão. A essência emergente das emoções transcritas e ressoando nas palavras arrumadas entre elas criam as cores e linhas enquadrando-se entre si, surgindo numa sintonia simbiótica, brotando no papel a expressão emocional de cada frase… de cada verso… de cada poema. A mensagem submetida por cada poema ressalta essa janela abrindo uma fresta ao artista, para enaltecer através da sua arte, uma percepção ótica simbólica para o leitor. Assim sendo e dentro dessa lógica, poema após poema, surgiu o meu trabalho. As temáticas das ilustrações foram definidas a partir de um contexto bem determinado: uma frase mais enfática, uma palavra abundante em sentimentalismo e simbolismo, ou simplesmente através do impacto literário do próprio título do poema. Foram assim, “dando à luz”, os temas das ilustrações, sendo estas obrigatoriamente portadoras da simbologia descrita no contexto da escrita proposta.

 

Quais são as características da exposição? Como ela vai acontecer?

Christina dos Santos: Tal como os diversos temas propostos pelos poetas, optei de igual modo, recorrer a diversas técnicas adaptando cada ilustração à característica peculiar de cada autor. A técnica ARTPOP ​com linhas sóbrias para ATRIZ e fluídas para OLHOS QUE SORRI querendo mostrar a dor sentida no combate das adversidades, tanto emocional como física, mas também a subtileza da feminilidade, da sua força nas privações, da sua fé… da sua crença; formas geométricas definem RAIO X para denominar a pluralidade emocional do poema. Em ambos foram usadas aquarela e tinta de china para reforçar os sentimentos emanando dos versos dos poemas do Professor Valdir Rodrigues da Silva. Ora passando do suave, através da aquarela, ora mais intensivo através da tinta de china. Em SOMBRA​, LENÇO NOS OLHOS e CANTO DE EXALTAÇÃO, ​do mesmo autor, na técnica CROMÁTICA é utilizada uma trilogia de materiais, recorrendo ao acrílico, aquarela e tinta de china com a intenção de acentuar e proporcionar um efeito de relevo ótico criando um movimento de profundidade na ilustração para impulsionar e intensificar os sentidos. Já em TARDINHA optei pelo estilo NAÏF aplicando somente aquarela em tons sutis a fim de harmonizar o próprio desenho ao romantismo inocente do poema do Professor Valdir Rodrigues. Da mancha de tinta de china escura de ASA DE FILOSOFIA ​de Aldo Morais, nasce um pássaro, símbolo de liberdade e de perseverança, justaposto com a delicadeza frágil da aquarela borbulhando em esperanças renovadas ainda por escrever. Através da técnica ZENTANGLE usando grafite, charcoal, sanguínea, sépia e caneta, floresceu da tendência abstrata POEMA DE INVENÇÃO​, criando uma efervescência de circunferências em ebulição explodindo num âmago geométrico representativo da atividade cerebral criativa e criadora, sendo as teclas do piano o motor para a combustão que vai originar a invenção, perfazendo assim e em simultâneo, a oportunidade de homenagear de forma simbólica o trabalho do grande Maestro Aldo Morais.

 

E como surgiu a ideia de ilustrar as poesias de Aldo Moraes e Valdir Rodrigues?

Christina dos Santos: Esta parceria surgiu no âmbito do trabalho que o Professor Valdir Rodrigues da Silva fez em Portugal e do círculo de contatos literários que ainda mantém por cá, do qual também faço parte. O Professor Valdir Rodrigues teve conhecimento de um dos meus trabalhos enquanto ilustradora para um livro de poesia. Após o seu lançamento, fui convidada para fazer uma entrevista para o seu blogue ENTRELAÇADAS. No decurso da nossa conversa, o Professor Valdir sugeriu mandar uns poemas para eu ler, daí adveio a sugestão desta maravilhosa parceria. Esta exposição é o culminar da junção de uma fusão que despontou de forma natural com o intuito e a necessidade de trazer ao conhecimento do público as trocas interculturais porventura tão benéficas para os nossos dois países. E o resultado está patente nesta exposição.

 

CAM01777

 

CAM01788