Eu respiro arte – por Liz Maia

 

Eu respiro arte? Que forma e intensidade a arte me influencia ou sou eu que a influencio?  

Quem é esse ser dentro de mim que luta para sair!  

Como alcançar algum tão inatingível, numa busca incansável?  

Antes havia um sentimento dentro de mim de estar totalmente perdida, realmente não sabia quem eu era!  

Para arte não adiantava ser só habilidosa com os pinceis, faltava algum, sendo uma cobradora implacável a cada pincelada.  

Eu me vi mergulhada na busca por algo genuinamente difícil de se alcançar.  

Será que eu estava ficando louca!  

Arte me escolheu desde pequena quando meu irmão mais novo insistia para que eu desenhasse para ele.  

Nos anos que se passaram veio o amadurecimento.  

Passei a estudar pinturas abstratas, pintores como Pablo Picasso e Paul Cezanne, também Van Gogh e outros pintores do movimento impressionista. Descobri com Pablo Picasso uma maneira de olhar o mundo a minha volta, sempre soube que minha maneira de capitar tudo que me secar era diferente pois sempre enxergava os mínimos detalhes, aqueles detalhes que pouquíssimas pessoas vão perceber, nunca via como todo. A natureza sempre vai estar ligada à minha arte, pois é dela que sempre recorro, observei que os grandes mestres tiravam dela algo sublime. Ao passar de cada jornada, num cume intenso de pesquisa e estudo me identifiquei com a obra de Portinari(Café,1935), havia tanta informação incutida naquela pintura como era linda as expressões, profundamente impactantes.  

 

A influência africana se destaca na minha pintura de forma vibrante, cores fortes, o modo de diálogo com o mundo, representado de forma que o sobrenatural aparece incutido em pensamentos e cores estudadas minuciosamente a proporcionar bem-estar, paz e harmonia a cada expectador. Me inspirei nas obras do meu amigo artista plástico Luciano com pinturas de expressões e linhas impactantes, toda brasilidade ali espatulada de forma gritante fazendo meu olhar vibrar a cada cor expressa ali, representado todo a nossa miscigenação.  

Ser artista é estar ligado ao mundo, quando vou começar uma pintura antes de mais nada sento olho para o painel, o ato de observar o painel em branco me influência a dar os próximos passos, como se o esboço estivesse ali bem na minha frente. Codificar essa informação foi o primeiro passo para entender o tamanho da influência da arte em mim, segundo passo foi buscar informações sobre essa influência. A pintura tem vida própria e fala com o artista.  

Quando pinto me transporto, desligo totalmente desse mundo, foi preciso uma longa jornada até conseguir me conectar comigo e depois com a arte, foi preciso me tornar mãe, me ligar aquele ser que estava dentro de mim, sentir medo de perder, alegria de ter uma criança crescendo dentro de mim, tristeza quando tive que ficar de repouso absoluto para que minha filha pudesse nascer. Para mim não bastou anos de estudo ou pesquisa, tive que primeiro me conhecer.  

Interprétation Du Naturel(Interpretação do Natural) é a tradução do real, é a utilização de vários pontos de vista, se olhar de cima para baixo, de lado ou de cabeça para baixo, observara a movimentação de formas diferentes, a pintura esta em movimentação o tempo todo de acordo com cada clima e iluminação, se observa com o sol da manhã a movimentação é lenta e suave, ao meio dia a pintura parece sair do suporte.  

Me apropriando de formas geométricas, linhas, círculos, triângulos, linhas onduladas, capturando vários pontos de vista numa só forma criando efeito de luz, sombra e volume.  

A minha pintura é puro sentimento, alegria incutida a cada pincela, a fato de que cada pincelada ter consigo uma energia faz com que cada observador sinta em diferentes modos uma energia intensa que leva a sentir algo inelutavelmente sem dimensões sentimentais.  

A harmonia em que as formas são encaixadas dão o ar de profundidade a cada peça, assim cada peça forma um todo se ligando, conectando para formar algum maior, cada peça tem uma história uma energia diferente. Interprétation Du Naturel é uma arte viva que fala com quem a observa, passa uma mensagem para cada um que se conecta com ela.  

Interprétation Du Natural é a ciência de mostrar novos horizontes de dar e levar alegria a quem a observa, é a minha maneira de lidar e traduzir o mundo.