unnamed

.

A mostra BARROCO ARDENTE E SINCRÉTICO LUSO-AFRO-BRASILEIRO, que reúne cerca de 400 obras, é uma homenagem ao Jubileu de 300 anos de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, e traça variadas manifestações do estilo artístico em Portugal e no Brasil, com ênfase em suas expressões em um país miscigenado. Com curadoria de Emanoel Araujo, a exposição introduz o visitante ao espírito do barroco, passando pelas suas referências na cultura erudita e popular, entre os séculos XVII e XIX.

O projeto já tem uma longa história. Surgiu ainda nos anos 1960, na Bahia, quando o curador Emanoel Araujo iniciou suas pesquisas na arte barroca e começou a trabalhar como curador em exposições, coleções e museus. De uma maneira ou de outra, o Barroco está presente em toda sua formação.

— De maneira muito semelhante a exposição O UNIVERSO MÁGICO DO BARROCO BRASILEIRO, da qual fui curador, realizada em 1998, na Galeria de Arte do SESI. Uma significativa mostra sobre Barroco ocorrida em São Paulo. Ou seja, a curadoria da exposição é fruto de muita pesquisa, estudo, viagens, visitas a museus, a colecionadores e a instituições de artes. — explicou o curador.

A exposição tem uma importância muito grande por se tratar do assunto Barroco, que para quem desconhece o termo, se refere a um dos momentos mais importantes da história das artes nacionais, como a música, a pintura, a arquitetura, a literatura, tendo como os negros e mulatos maior força e atividade. Com isso, a arte barroca não se limitou à apenas templos ou territórios sagrados.

BARROCO ARDENTE E SINCRÉTICO LUSO-AFRO-BRASILEIRO é a maior exposição sobre este movimento estético chamado de Barroco desde a mostra do redescobrimento, em 2000. A exposição é também uma homenagem ao Jubileu de 300 anos de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil. — comentou.

A mostra que abriu as portas no dia 3 deste mês, e que estará em cartaz até o dia 3 de dezembro, conta com elementos visuais e sonoros. As atrações são inúmeras, inclusive com obras sacras de Portugal e criações de autores anônimos, dentro da vertente sincrética do barroco, também fazem parte da mostra.

BARROCO ARDENTE E SINCRÉTICO LUSO-AFRO-BRASILEIRO propõe uma visita a obras do século XVII até o começo do século XIX, abordando as contribuições dos dois mais expressivos artistas do barroco brasileiro, que são Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1730?-1814), em Ouro Preto (MG), e Mestre Valentim da Fonseca e Silva (1745-1813), no Rio de Janeiro. O escultor Francisco Xavier de Brito (?-1751), mestre de Aleijadinho, também figura a mostra. — disse Emanoel.

.

SERVIÇO:

.Abertura: 03 de agosto de 2017 – 19h

Período de exposição: até 03 de dezembro de 2017

Local: Museu Afro Brasil (São Paulo - SP)

.

.