Rio de Janeiro, 25 de junho de 2018 - O Rio de Janeiro é uma das cidades mais fotografadas do mundo. O fotógrafo Odir Almeida, porém, se dedica a clicá-la a partir de uma perspectiva completamente diferente: de dentro do mar para fora. O misto de artista e nadador reunirá parte da sua obra, com imagens marítimas exclusivas e impactantes na exposição CELACANTO, que fica em cartaz de 6 de julho a 5 de agosto no Centro Cultural Oi Futuro, no Flamengo. O nome da mostra é inspirado nos celacantos, peixes abissais pré-históricos cujas barbatanas - acreditavam-se - podiam causar maremotos, como sugerem as imagens produzidas pelo artista.

A mostra convida o público a ressignificar o seu olhar sobre a cidade, ao retratar esse outro Rio que surge no horizonte, capturado da linha d’água para a terra. Sob o ponto de vista de um ser aquático, ondas se agigantam sobre a cidade, edifícios parecem peças de brinquedo e montanhas são parcialmente cobertas pelo movimento constante - e nunca o mesmo - das ondas do mar. O público poderá mergulhar nas 21 fotografias inéditas em grande formato, em cor e preto e branco, que estarão em exposição, e experimentar o processo de captação de Odir Almeida, através de vídeos e 150 imagens projetadas em looping num espaço imersivo de quatro paredes chamado MAR EM MOTO.

Em monitores, serão mostrados depoimentos sobre o trabalho do artista nadador, como o do poeta Guilherme Zarvos, do psicanalista Paulo Próspero, do cineasta Silvio Tendler e da curadora Maria Arlete Gonçalves. Serão exibidos, ainda, trechos do episódio CELACANTO PROVOCA MAREMOTO da antológica série de TV National Kid, dos anos 60, de onde saiu a frase que inspirou o o primeiro grafite que se espalhou pelos muros e tapumes cariocas nos anos 70, do jornalista Carlos Alberto Teixeira, e que até hoje desperta curiosidade sobre seu significado.

 

 

Serviço:

Exposição Celacanto

Entrada
Franca

Local: Centro Cultural Oi Futuro Flamengo – Galeria 4

Endereço: Rua Dois de Dezembro, 63 - Flamengo

Telefone: (21) 3131-3060

Abertura: 6 de julho, sexta-feira, às 19h

Visitação: de 7 de julho a 5 de agosto de 2018

Horário: de terça-feira a domingo, das 11h às 22h

Classificação
Indicativa:
 Livre