Sinopse

Livremente inspirado no romance clássico alemão, A Montanha Mágica, de Thomas Mann, o longa-metragem Aquilo que Sobra acompanha os últimos dias de Clavdia Chauchat (Isabél Zuaa) num sanatório para o tratamento de doenças respiratórias. Ao tentar se despedir de Hans Castorp (Vicente Coelho), ela tem que lidar com a confissão de um amor impronunciado, no momento em que esta anuncia sua partida para enfrentar sozinha a doença que a acomete. Entre idas e vindas em diferentes espaços-temporais, os dois fazem um esforço de ressignificação de seus afetos para poderem seguir em frente. Direção: Humberto Giancristofaro. Tipo: Ficção. Gênero: Drama. Duração: 76 minutos. Classificação Indicativa: 14 anos.

 

Sobre o filme

O longa-metragem brasileiro AQUILO QUE SOBRA fará sua estreia mundial no dia 19 de março no CPH:DOX, Festival Internacional de Documentários de Copenhagen. A obra ficcional, livre adaptação do diretor Humberto Giancristofaro para A MONTANHA MÁGICA, de Thomas Mann, será exibida na mostra competitiva Next Wave (Próxima Onda). A produção da Clariô Filmes traz no elenco a atriz portuguesa Isabél Zuaa (As Boas Maneiras (2017) e Joaquim (2016)), na pele da protagonista Clavdia Chauchat, e o ator Vicente Coelho como seu par Hans Castorp.

—  Apostamos numa linguagem pouco usual com uma narrativa borderline entre performance e ficção; o real, a memória e o onírico. Apesar disso, a maior coragem que percebemos nesse projeto, foi a de fazer um filme que se arrisca num modelo diferente de realização. Se AQUILO QUE SOBRA pôde contar com o olhar generoso do CPH:DOX em convidá-lo para a mostra competitiva, foi pela forma coletiva e cooperativa pela qual o filme foi feito. Esse é o primeiro longa de toda uma equipe que trabalha há bastante tempo no audiovisual e se preparou para a empreitada de fazer um filme com as liberdades que pudemos contar. Termos sido definidos como "um dos filmes mais estranhos e cabeça aberta do ano" pelo Festival de Cinema da Dinamarca trouxe a sensação de missão cumprida para toda a equipe —, celebra o cineasta e filósofo Humberto Giancristofaro, que começou sua carreira como roteirista em A Turma do Menino Maluquinho e dirigiu e escreveu diversos programas de TV, como Big Brother Brasil (TV Globo), Deu Match e Catfish Brasil (MTV); O Infiltrado para o History Channel, indicado ao EMMY 2014; e Poesia com Maria Bethânia (Arte 1).

Rodado em 2014, durante dez dias, tendo como locação três cidades diferentes (as mineiras Mariana e São João Nepomuceno, além do Rio de Janeiro), AQUILO QUE SOBRA também traz outro número curioso. Ele custou apenas R$ 60 mil, dinheiro oriundo de financiamento coletivo e recursos próprios.

— Acho que um número que se destaca também é que durante as filmagens a equipe era composta por 18 pessoas somente. Que evidentemente se desdobravam em outras funções para dar conta de tudo. Um dos motoristas se interessou e começou como assistente de câmera da segunda unidade por exemplo. Depois disso, ele fez vários trabalhos como assistente de câmera. Assistente de direção cuidou do figurino. Montadora registrou making of. Platô foi gaffer. E por aí foi — , conta o produtor executivo Camilo Cavalcanti.

AQUILO QUE SOBRA tem previsão de estreia no circuito nacional em dezembro de 2018. No CPH:DOX será exibido nos dias 19 e 23 de março.

 

 

(texto da assessoria de imprensa)