Uma escritora com trabalhos bem conhecidos. Idealizadora da 1 5 1 1, Giovanna Vieira da Silva (Giovanna Vieira) tem 21 anos, nasceu em 03 de novembro de 1995, na cidade de Catanduva, São Paulo. A Giovanna tem trabalhos divulgados pelas redes sociais e vêm conquistando leitores em todo canto do Brasil.

 

 

Como começou a escrever?

Eu acho que sempre escrevi, desde criança meu momento favorito no jardim de infância era “a hora da história” onde nós criávamos aquilo que quiséssemos, e enquanto a maioria reclamava eu amava. Eu não acordei um dia e pensei “poxa vou escrever” porque sempre fez parte de mim isso, uma vez eu fiz um texto, que nunca publiquei na verdade, mas ele diz assim “Uns amam a dança, outros amam os instrumentos, tem aqueles que amam os números, as estrelas, a tecnologia. Eu também amo, amo as estrelas, a lua, o mar, amo a forma dos teus lábios quando sorri, amo o teu olhar, amo o bater de asas das borboletas e todo o efeito que aquele movimento pode causar, mas mais que tudo amo eternizar esses detalhes que a vida nos proporciona em linhas, amo transformar aquele instante que ninguém vê em mais uma página repleta de sentimento.” Mas respondendo a pergunta eu comecei a escrever quando tudo que eu sentia, seja alegria, dor, ansiedade, não cabia mais em mim, eu comecei a escrever quando percebi que eu precisava disso e não quando eu quis isso. Eu comecei a escrever quando a escrita me chamou e me pediu pra desabafar.

 

E o que você sentiu ao ganhar espaços em algumas páginas?

Eu nunca imaginei que as minhas palavras pudessem ganhar tanta força e voarem por aí. Eu me lembro da primeira vez que uma página me publicou (Foi a Palavras mais rimas do Rodrigo Palauro) e eu não esqueço porque a alegria de ser reconhecida por aquilo que a gente ama é tão grande que não cabe na gente. E a partir daí muitas páginas me apoiaram, como a Que me transborde, a Vit Fernandes, a Mais Brasil, P O E T A s t r o, Desatinamor e o maior sentimento que tenho entre tantos é o de gratidão porque sem esse espaço eu acho que não teria alcançado tanta gente como alcanço hoje.

 

O que significa 1 5 1 1?

Bom, essa é uma longa história, cheia de altos e baixos, mas vou resumir dizendo que esse número chegou pra mim no dia 13 de novembro de 2015 em uma conversa com uma pessoa especial demais pra mim, nós escrevemos um texto juntos e em meio ao texto ele disse “Temos 1.511 dias pra passarmos juntos trocando histórias, piadas ruins, olhares, caretas, momentos só nossos, ideias e muito mais! Que tal?” e eu como sempre deposito muito do que sinto nos meus textos, acreditei que ele também tivesse dito a verdade. Então devo dizer que 1511 significou amor, esperança e inspiração e hoje a minha história com esse cara não deu certo, mas a partir de tudo que vivemos a alegria, o amor, eu optei por Ressignificar 1511 pra um sentimento de saudade do que não vivemos e pra esperança de dias melhores. Então hoje 1511 significa amor, lembrança, saudade e gratidão porque a gente não pode apagar as histórias que foram vividas mas podemos transforma-las em algo bom e é isso que fiz.

 

Giovanna, você tem planos para um futuro livro?

Tenho sim, meu sonho de princesa! Na verdade eu já estou escrevendo, porém eu quero lançar no momento certo. Quero me aprofundar mais nas palavras e na literatura, me estruturar mais pra que assim eu possa dar o meu melhor. Pretendo compor esse livro com uma coletânea de textos e crônicas inéditas e para isso preciso de muita inspiração, calma e tempo. Quero um livro que seja sentido e não simplesmente lido.

 

Qual seu gênero de escrita?

’’Puts’’, bom quando a gente fala de gênero textual nós definimos como as diferentes maneiras de organizar algo pra levar as palavras até alguém né? Eu sou uma completa bagunça, então, acho que não tenho um gênero, que sempre sigo e é isso fantástico pra mim. Porque hoje eu posso falar de saudade em um romance, se for isso que estiver gritando em mim e amanhã posso fazer uma crônica para falar sobre o poder do foda-se se essa for à necessidade. Então eu deixei o gênero a cargo dos meus sentimentos e assim vou deixando eles me guiarem a cada nova inspiração.

 

 

Luan FH. Escritor, escorpiano, ama bandas indies brasileiras.

Escritor das páginas Recíproco e Um Rabisco e Um CAfé