12717571_949701778450674_12088924619065426_n

 

“Vende-se um sonho vivo, altivo, obsessivo, concebido por um compositor criativo…” – esse trecho de uma canção de Hugo Brasarock ilustra eficientemente a estadia do artista em Paraty na primeira semana de 2017. O músico-artista plástico-cronista e Professor empurrou sua arte “áudiovisual’ pelas ruas, bares e palcos na centenária cidade carioca.

Sua mini-turnê consistia em se apresentar uma única vez na Casa da Cultura de Paraty e, na semana seguinte, tocar na festa de casamento de um amigo em Angra dos Reis. Mas ímpeto do jovem impulsivo de 36 anos forçou-o a impor sua canção recheada de boas influências de anos de festivais de MPB e noites e bares de alma cult. Que o diga o episódio em que o Brasa ofereceu seu show a um empresário francês, que, de forma arrogante e sem conhecer o talento do underground rapaz, o dispensou rudemente, dizendo que na casa de shows dele, só tocavam os melhores’.

Hugo Brasarock que não leva desaforo pra casa, retrucou, dizendo: ‘música ruim como a minha você não aceita?” Com a desavença entalada na garganta, no dia seguinte, Hugo toca na casa ao lado e o francês corre pra ver, atordoado. Após o show, o Brasa entra no pub ao lado e toma uma cerveja.

Depois, dá uma canja e arranca gritos, aplausos, fotos e autógrafos de uma platéia, outrora, entediada com “os melhores”, que tocavam até então. O empresário, imediatamente, se desculpou e contratou o Brasarock de cara. O artista seguiu se apresentando nos dias seguintes, sempre trazendo suas canções próprias e suas releituras improvisadas de grandes sucessos, além de, nas horas vagas, desenhar turistas por preços jamais pagos em sua terra natal.

A lição ‘Brasarock’ que fica é que, independente da profissão, deve-se acreditar em si mesmo, quando NEM VOCÊ acredita mais. Como diz a letra da música “Amanhã” do álbum ‘Blues pra se ouvir na Estrada’: …”tente quantas vezes você for capaz e, quando concluir que não é, tente uma vez mais…” – a única pessoa que luta pelos seus ideais é VOCÊ mesmo. E isso, nosso garoto ilhense, já não tão garoto assim, parece que, enfim aprendeu. Boa sorte, Brasa! Continue levando a sua canção, que é um pouco nossa também!

 

 

CURRÍCULO ARTÍSTICO:

Hugo Brasarock é músico desde os 11 anos de idade. A preferência pelo violão e ao mesmo tempo a influência do rock nacional em sua formação resultou numa pegada forte com efeitos de espetáculos acústicos e levadas feitas para pubs.

Hugo já foi premiado em várias edições do Festival Nacional de MPB de Ilha Solteira, sua cidade natal, ganhando, inclusive, em primeiro lugar em 2009. Já participou também do Botucanto, dos Festivais de Rio Preto, Barueri, Jales, Batatais e Jundiaí. Em 2015 ficou em terceiro lugar nacional com a ‘Música do Avesso’ em Pereira Barreto. Em 2013 lançou o seu livro “A Lenda da Velha Barrageira”, que foi muito elogiado e se tornou uma espécie de referência da literatura infanto-juvenil na região.

‘Blues Pra Se Ouvir Na Estrada’ é o quarto CD independente da carreira de Hugo Brasarock, que já lançou o CD ‘MPB – Músicas Para Barzinho’, o infantil ‘Ratugo’ e o CD ‘Arte, Poesia e Canção’, em parceria com o saudoso poeta Marcos Ayres. Hugo tocou no Canadá em 2015, tocou na Vila Madalena em São Paulo e tem participado de vários programas de TV na região e até em uma TV web de São Paulo.

Hugo está lançando esse ano o CD ‘Descaradamente Intimista’ com músicas mais voltadas para a MPB e vêm trabalhando a peça teatral musical de sua própria autoria ‘A LENDA DA VÉIA BARRAGÊRA’ com direção do ator Paulo Jordão. Hugo ainda é cartunista, desenhando para alguns jornais pequenos em todo o Brasil e dá aulas de inglês em uma conhecida escola de idiomas.

Atualmente Hugo Brasarock mora em Paraty no RJ, onde tem tocado nas noites do centro histórico e se apresentando através de projetos.