Foto de André Bueno

Foto de André Bueno

 

Estamos de olhos abertos nessa furada de “limpar SP”, que na verdade, está mais para um cenário de censura. Cada um tem a sua opinião, mas para nós, essa incitativa é uma verdadeira forma de reprimir os artistas de rua. O vereador Suplicy (PT) também está atento, tanto é que levou uma surpresa totalmente inesperada para Doria na sessão da Câmera Municipal de São Paulo, nesta quarta-feira (1).

A surpresa nada mais é do que a presença de um grafiteiro, que foi preso semana passada ao tentar restaurar uma de suas obras apagadas sob pedido do prefeito. O artista ficou cara a cara com Doria, enquanto que Suplicy dizia ao prefeito: “Mauro já ganhou prêmios para organizar pinturas de grafite na cidade e até na Bienal, ele já fez mais de 10 mil grafites na cidade. Então vou te entregar este livro que conta um pouco da história do Mauro e sugiro que ele possa ser escutado em uma reunião com Vossa Excelência, inclusive com outros grafiteiros”.

Apesar do artista, Mauro Neri da Silva não ter tido microfone aberto, ele fez declarações à imprensa: “Precisamos lidar melhor com as diferenças porque a denominação do que é Grafite e Pixação tem ocorrido principalmente para atribuição de valores. Ou seja, quando se gosta se chama de Grafite, quando se gosta muito se chama de Mural e quando não se gosta se chama de Pixação. Precisamos de mais escuta e trabalhar nisso de uma forma mais antropológica e com potencial dos espaços públicos voltado para a educação e formação de opinião”.

 

 

 

(Informações, citações e fotografia da Revista Forum)