Conecte-se conosco

Álbum

[ENTREVISTA] A espiritualidade é a inspiração de Lara Emanueli, que lança o livro “Os Desafios de Amar”

Matheus Luzi

Publicado

em

(Capa do livro)

 

A espiritualidade foi o ponto de partida para a autora Lara Emanueli lançar o livro “Os Desafios de Amar”.

A estória é envolta em dois personagens, Erick e Laura, que são consideradas “Alma gêmeas”.

O livro tem a proposta de mostrar ao público um pouco da espiritualidade e também os ensinamentos de Jesus Cristo. Abaixo, você confere uma descrição da estória, e em seguida, confere na íntegra uma entrevista que fizemos com a autora sobre o lançamento.

 

DESCRIÇÃO DO LIVRO:

Entende-se que o encontro de duas almas afins tem como foco principal a afinidade entre elas e não a aparência física. O romance “Os Desafios de Amar” retrata experiências terrenas de duas almas que foram agraciadas pelo Criador com o elo do amor. Inicialmente, a história acontece no século XIX, em Paris, com os espíritos na droupagem de Clair e Klaus. Tratando-se de almas gêmeas, o Criador possibilita outro encontro entre essas almas em uma nova roupagem, durante o século XX, em São Paulo, como Laura e Erick. Laura nasce rodeada de amor e carinho, mas tem sua jornada marcada por vários desafios, sempre cercada por uma assistência da espiritualidade concedida graças a sua mediunidade; ela consegue tornar-se uma enfermeira reconhecida no campo da saúde mental. Erick, um psiquiatra renomado, foi um menino que nasceu com a dualidade marcada em seu coração: a dor e a alegria. Essas almas se reencontram em um cenário nada romântico: o hospital psiquiátrico, importante local para o resgate de dívidas de Laura e Erick, e possibilita minimizar o sofrimento das pessoas ditas insanas. Por meio deste romance, descubra como é possível alcançar a evolução na trajetória terrena, (res)significando os ensinamentos de Cristo na vida.

 

Clique aqui para comprar o livro.

 

A autora Lara Emanueli ao lado do seu livro “Os Desafios de Amar”

 

Você é adepta ao espiritismo, certo? O quanto essa filosofia de vida ajudou na construção do livro?

Sim. O espiritismo é uma doutrina cujos pilares são amor, tolerância e humildade. Estes são os norteadores da caminhada dos protagonistas Laura e Erick, contudo, estes se apresentam de forma diferente na vida de cada um. Laura aprendeu o conceito destes de forma precoce e assessorada pela espiritualidade, enquanto Erick de forma tardia. E no decorrer do romance o leitor vai percebendo que eles vão desvendando-os, assim como outros ensinamentos.

 

Quais são as semelhanças entre o espiritismo e a estória da publicação?

As semelhanças estão nos ensinamentos que ambos transmitem, em especial na definição de amor. O amor é um sentimento capaz de desencadear transformações internas e externas no homem e no universo respectivamente. Tanto a doutrina espírita como o romance “Os Desafios de Amar” evidenciam que o amor é a principal mensagem deixada por Cristo durante sua passagem pela Terra.

 

A estória se passa inicialmente no século XIX em Paris, e depois corta para o século XX em São Paulo. Fale um pouco sobre essa escolha.

A idéia principal destes recortes temporais é descrever duas experiências terrenas destas almas afins.

As pessoas conhecem Paris como uma cidade bela, iluminada e romântica. Entretanto, a proposta é mostrar Paris sob outro panorama, no contexto do hospital psiquiátrico existente na época. Assim, a cidade torna-se cenário marcado por mazelas sociais, violação de direitos humanos, nada romântico, contudo, aconteceu o renascimento de um sentimento nobre que é o amor. Além disso, a França sofreu forte influência do movimento da Reforma Psiquiátrica Italiana, que propõe mudanças na forma de cuidar das pessoas com transtornos mentais.

Em São Paulo, durante o século XX, inicia-se o processo de implantação de novos serviços de saúde mental, o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), a materialização do novo modelo de atenção às pessoas em intenso sofrimento psíquico. Este paradigma voltado para o cuidado em liberdade, na comunidade é resultado do movimento social, cientifico e político chamado de Reforma Psiquiátrica Brasileira, que recebeu influência do movimento italiano. O romance evidencia esta transição de modelos e no espaço segregador que é o hospital psiquiátrico torna-se pano de fundo mais uma vez para um reencontro de almas afins, confirmando assim que o amor entre elas não acontece apenas em uma experiência terrena, ou seja, depois de um século elas se encontraram mais uma vez.

 

A protagonista se torna enfermeira ao longo da estória. Você também atua nessa área. Fale um pouco dessa personagem e o que ela tem a ver com você.

Laura é uma personagem que carrega várias missões, dentre elas, o de ofertar um cuidado melhor às pessoas em sofrimento psíquico, através do exercício da enfermagem. Ser enfermeira no contexto da atenção psicossocial ultrapassa os conhecimentos técnicos, que são necessários, mas é preciso ter empatia, sensibilidade, amorosidade, ferramentas que ela vai descobrindo no decorrer de sua carreira. Como expõe a mãe da enfermagem psiquiátrica Hildegard E. Peplau em seu livro “Interpersonal Relations in Nursing” (1952), entende-se que para exercer a ciência da enfermagem no campo da saúde mental é necessário escutar o usuário, o que se torna realidade através do emprego do segundo conceito interpessoal presente na obra: conhecer o outro na sua integralidade. A protagonista demonstra acreditar na capacidade de amar, e de que o amor é capaz de transformar o mundo e todos os seres que nele habitam, da mesma forma acredita que durante a nossa passagem pelo plano físico nada acontece por acaso. Estas semelhanças aproximam a enfermeira Laura Flores e a enfermeira Lara Emanueli.

 

E Erick, o outro protagonista, como foi construí-lo? Quais são os outros personagens?

Erick é um personagem que não tinha uma vinculação direta com a espiritualidade. Contudo, no decorrer do enredo vários fatos, vão revelando que nós seres humanos precisamos nos conectar com Deus e a espiritualidade. E a protagonista Laura vai auxiliar neste processo. Foi bastante interessante a construção deste personagem, cujo coração é marcado pela dualidade amor e dor. Quem sabe no próximo volume os leitores possam conhecer um pouco mais da história deste personagem?!.

 

Ao longo da estória, você chega a contar como é possível alcançar a evolução na trajetória terrena?

Neste romance, após o reencontro das almas afins, seja na roupagem de Klaus e Clair, Erick e Laura, juntas vão à busca da evolução espiritual. Esta busca é um processo contínuo, diário que acontece tanto no plano físico como nos espirituais. Nas diversas experiências conjuntas que estas almas vão passando, enfrentando desafios, superando obstáculos, atravessando as turbulências e se envolvendo por laços amorosos, avançam rumo a evolução espiritual durante a trajetória terrena. Portanto, o caminho para alcançar tal evolução na Terra é feita por passos norteados pelos ensinamentos de Cristo.

 

De uma maneira geral, o que o público pode esperar deste romance?

O público deve esperar um romance recheado de emoções, ensinamentos de Cristo e muitas cenas de amor. E não apenas cenas de amor de um casal, mas cenas que descrevem o reencontro de almas afins, reajustes que acontecem por meio do amor. O público vai encontrar neste enredo que os laços de amor real são intensos e não é desperto apenas em uma vida, mas na eternidade.

 

Você tem alguma história ou curiosidade interessante que envolva o livro?

O que posso dizer que não existe apenas uma história especifica, mas o romance é fruto das diversas interlocuções que tive com diversos atores que estão envolvidos no campo da atenção psicossocial. Assim, espero de certa forma ter dado visibilidade a um campo de atuação da área de saúde marcado pelo estigma, preconceito e invisível aos olhos da sociedade de maneira em geral.

 

Fique à vontade para falar algo que gostaria de ter dito e que eu não perguntei.

Na oportunidade quero deixar uma mensagem de agradecimento. Agradecer à espiritualidade por conceder este momento, as inspirações, tudo o que estou vivendo desde a construção do romance e a publicização do meu trabalho literário.

Em 2018 foi o ano em que meu sonho foi escrito, despertou em mim uma inspiração poética que estava adormecida. Foi o ano que o enredo romântico sobre alma afins começou a entrar nos lares brasileiros, tocando a alma dos leitores. Foi o ano em que cada curtida, comentário deixado por leitores, seguidores alegravam meu coração e que a emoção reinou nele a cada mensagem deixada após a leitura do romance.

Em 2018 foi ano que a Escritora de Alma (pseudônimo) acordou após uma longa viagem feita pelo intimo do meu ser e que tenta traduzir em palavras o que toca a alma humana. Muitas pessoas me perguntam: O que toca a alma humana? Em linhas gerais respondo que a alma humana é tocada pelo retrato da vida gravado por meio das lentes do amor. Um retrato em que a simplicidade, o toque, o abraço, o sorriso, o aperto de mão, o olhar, um beijo e um brinde ganham um efeito especial.

Assim, também quero registrar um agradecimento especial para os leitores, afinal é um enorme privilégio e saibam que me importo em saber quem são vocês. Sinto-me bastante lisonjeada por tê-los como interlocutores reais e potenciais, pois sem vocês não haveria motivos para dedicar a uma das paixões de minha vida, escrever.

Para finalizar agradeço a Editora Viseu e Revista Arte Brasileira e parabenizo pelo excelente trabalho que executam.

 

 

 

 

 

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish