Conecte-se conosco

Clipe

Belchior é reverenciado em single de estreia da carreira solo de Teago Oliveira, da banda Maglore

Matheus Luzi

Publicado

em

(Cena do clipe)

 

Teago Oliveira, vocalista e guitarrista da Maglore, anunciou recentemente seu primeiro disco solo – Boa Sorte (Natura Musical/Deck) – e, para apresentar o trabalho, ele acaba de lançar o single e o videoclipe “Corações em Fúria (Meu amigo Belchior)”. O complemento do nome da música evidencia a tentativa de comunicação entre o compositor baiano e o cearense, na época de seu álbum “Alucinação” (1976). Eu queria escrever uma carta para Belchior e dizer o quanto o mundo de hoje se parece com aquele, e ao mesmo tempo, o tanto que já mudou em relação ao que ele contava no disco”, diz Teago.

A última música canção escrita por Teago, acabou sendo escolhida como a mais urgente para vir ao mundo. O videoclipe, gravado em Salvador, foi dirigido por Victor Marinho, que já trabalhou com Teago em outros projetos, incluindo o clipe de “Mantra”, faixa do álbum III (2015/Deck) da Maglore.

Enquanto voltava de uma sessão de análise, a composição surgiu completa para Teago em menos de 5 minutos, com letra e melodia. A temática atravessa diversas camadas, uma das frases diz respeito à uma casa em Salvador, com 10 pessoas, que abrigava sua família e a de todos os irmãos de seu pai. A atmosfera é angustiante, passa a sensação de que tudo está ruim, ao mesmo tempo em que, quem ainda sonha, consegue torcer para uma melhora.

“Essa música tem aquela coisa melancólica e esperançosa, do mundo acabando e você de mãos dadas com quem você ama. Fala de como as coisas são truculentas hoje em dia, ao mesmo tempo em que narra com ternura as lembranças da infância”, explica Teago.

 

 

BELCHIOR?

Para quem é familiarizado com obra de Belchior, não encontrará dificuldade em desvendar, em meio aos versos, algumas citações que remetem às letras do compositor que fugiu para o Uruguai. Ano passado ela morreu, mas esse ano vai brilhar”, canta Teago. Também fala de “Um cantor amigo meu”, trocando a palavra “analista” da música “Divina Comédia Humana”, de Belchior. “Nesta parte, aproveitei para fazer uma homenagem ao meu amado Helio Flanders, onde cito uma composição dele: “Se Tiver Que Ser Na Bala Vai”, música do Vanguart. Já o verso “e os rapazes violentos e apaixonados já não são como você”, aparece como resposta à “Fotografia 3×4”.

A introdução da música já existia há quase dez anos, o desenvolvimento veio agora, em 2019. Quando vi que as peças se encaixaram eu visualizei que tinha feito uma das músicas mais importantes do disco. Acho que nunca senti uma sensação tão boa ao terminar uma música”, completa. As gravações do disco em Belo Horizonte, no estúdio Ilha do Corvo, já tinham cessado, e foi preciso Teago viajar por cerca de 15 horas somente para gravar “Corações em Fúria (Meu amigo Belchior)”. Peguei um ônibus para Belo Horizonte dias depois com a missão de gravar essa música às pressas para entrar no disco. Deu certo. Eu realmente queria fazer uma música pra Belchior e quando vi que ela surgiu me enchi de alegria”, finaliza o artista.

 

INSPIRAÇÃO?

O álbum “The Mysterious Production of Eggs” (2005), do artista norte-americano Andrew Bird, serviu como principal referência de arranjo, que teve que ser pensado em apenas uma diária. O single foi gravado em 6 horas, com Teago tocando todos os instrumentos, sendo: violão de aço, contrabaixo, autoharp, shaker, meia-lua, mellotron de cordas, com exceção da bateria, que foi executada por Helton Lima.

 

 

 

 

 

 

Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish