Conecte-se conosco

Clipe

[ENTREVISTA] Banda Submerso prepara lançamento de álbum com produção de Esteban Tavares

Publicado

em

(Foto/Divulgação)

 

A banda Submerso deu seus primeiros passos entre 2015 e 2016 e composta por Tiago Cuzziol no vocal/guitarra/violão, Allan Melo na guitarra, Higor Melo na bateria e Bruno Burgos no baixo, quatro amigos com estéticas musicais semelhantes e que já se conheciam já dá cena do rock underground de SP

Com uma influência muito forte de Indie rock (Arctic Monkeys, Kings Of Leon, Los Hermanos, Esteban Tavares) a banda lançou inicialmente 3 singles com clipes, tendo destaque a música “Abismal” e fez shows em diversas casas de show paulistanas como a Selva, Feeling music bar e Z Carniceria.

 

 

Em 2018, a banda foi apresentada a uma de suas influências, e também produtor Rodrigo Tavares (Esteban) e iniciou a gravação de seu álbum de 10 musicas junto a sua produção.

Preparando os restante das faixas do álbum, atualmente a banda está em fase de divulgação de seu primeiro single “Hoje eu Tentei Falar de Amor”.

 

As respostas são do vocalista Tiago.

 

– Como a banda surgiu? Qual a história da banda?

A banda surgiu por intermédio de um amigo em comum de Tiago Cuzziol (vocalista) e Allan Melo (guitarrista). Murilo Brito, amigo de longa data de ambos, sabia do desejo em comum de se formar uma banda, além de estilo e pretensões iguais. Nos reunimos, convidamos Higor Natan Melo (irmão de Allan, baterista da banda) e Bruno Burgos (ex parceiro de banda de Tiago) e o time foi formado.

 

O que vocês diriam da poesia e musicalidade da banda?

No início da banda, tínhamos como as maiores influências, bandas Indie como Kings of Leon, The Strokes e Artic Monkeys… Ao passar do tempo, com muita naturalidade, fomos nos aproximando da música brasileira cada vez mais. Hoje em dia procuramos buscar referências também em artistas como Los Hermanos, Rubel, Rodrigo Alarcon, Esteban, Zimbra, etc.

Sobre a poesia ou mensagem nas letras, as músicas são compostas pelo Tiago. Desde o  início, essa foi a principal motivação para que tudo existisse. Uma necessidade de falar de seus sentimentos e pensamentos. Muitos lamentos, muitas reflexões, protestos e declarações são corriqueiros em nossas letras. Uma premissa que talvez resuma nosso trabalho seria a máxima: “Em tempos de ódio, amar é um ato revolucionário”. O amor, e todo o turbilhão de ações que gira em seu redor é nosso maior motivador.

 

Quais foram seus lançamentos?

Em 2017, lançamos um EP com 3 músicas ( “Tomo a Direção” ) e iniciamos o lançamento do nosso primeiro álbum “Hoje eu Tentei Falar de Amor” em outubro desse ano. A ideia é lançar um single por mês pra dar tempo da galera ir aproveitando música por música até completar o trabalho todo. São 10 músicas, gravadas e produzidas pelo Esteban Tavares (ex integrante da Fresno).

 

 

O que as letras das músicas de vocês abordam?

Algumas pessoas dizem que são sobre relacionamentos, mas acreditamos que é algo com muito mais profundidade.

Cada música tem sua singularidade, mas no geral, como já falamos, gostamos de falar sobre o amor e suas dores, seus aprendizados, suas histórias e sua força, ainda mais pelos tempos obscuros que vivemos.

 

Qual a mensagem que vocês querem levar ao público?

No mundo vamos encontrar pessoas rasas e pessoas brilhantes e amorosas. Vamos encontrar músicas pobres e músicas maravilhosas. Vamos passar situações terríveis e outras inesquecíveis de boas. Faz parte da vida. Vamos procurar viver sempre, independente de tudo, retribuindo com amor. Quando não for possível, a gente senta e chora junto [hehe].

 

Quais são as referências musicais de vocês?

A maior de todas, sem dúvida são os Los Hermanos e seus dois compositores, Marcelo Camelo e Rodrigo Amarante. Também ouvimos muito Kings Of Leon, Artic Monkeys, Esteban, além de clássicos como os mestres The Beatles.

Convidamos todos a conhecerem nossos gostos pessoais em nossas playlists no Spotfy.

 

Quais são os planos da banda para os próximos meses e para o futuro?

Somos uma banda nova e estamos iniciando uma relação incrível e muito gostosa com nosso público. Queremos, com os lançamentos já engatilhados, nos conectar o máximo possível com o maior número de pessoas possíveis… Vamos buscar boas oportunidades de shows dentro e fora de São Paulo, solidificar esse vínculo com o público que vem sendo construído e mais pra frente já pensar em gravar material novo.

 

Vocês teriam alguma(s) curiosidade(s) ou história(s) para nos contar?

O que a galera sempre pergunta é como surgiu a oportunidade de gravação com o Esteban Tavares.

O mais engraçado é que realmente parece coisa do destino. A banda toda estava se programando para assistir um show dele (sempre admiramos muito sua música e todos seus trabalhos), porém no dia, uma tempestade caiu, fazendo com que o Tiago e o Bruno sequer conseguissem sair de casa… Tarde da noite, Higor e Allan resolveram ir, achando que o show já teria acabado, inclusive. Foram por vontade do destino mesmo, sem nenhuma pretensão de nada, inclusive de ver o show.

Por conta da forte chuva, o show atrasou muito e eles conseguiram pegar a apresentação pela metade.

Já tínhamos trabalhado com os organizadores daquele evento, logo Higor e Allan foram apresentados ao Tavares no final daquela noite.

Em uma breve conversa, ao falar do Submerso, Tavares os convidou para conhecer o trabalho dele como produtor, em seu estúdio/casa, sem nem conhecer nossas músicas.

Na mesma semana a banda toda o encontrou, apresentamos nossas novas composições e ambas as partes viram ali uma ótima oportunidade de gravar um disco. Daí em diante nosso rumo mudou e tudo fluiu muito bem!

 

Fiquem à vontade para falarem algo que eu não perguntei e que vocês  gostariam de ter dito.

Gostaríamos de agradecer a Revista Arte Brasileira pela oportunidade de falar um pouco sobre nosso trabalho! A todos que estão lendo e ainda não nos conhecem, convidamos a nos acompanharem em nossas redes sociais e plataformas de streaming. O trabalho de erguer do começo uma banda independente é árduo, porém muito gratificante, principalmente pela troca de conhecimento e boas energias que surgem no meio do caminho. Estamos muito felizes com esse momento de lançamento,  com o feedback e os resultados do nosso trabalho! Quem já nos conhece, fica aqui nosso grande abraço e gratidão! Apoiem novos artistas pois só é possível crescer e se desenvolver com esse trabalho junto ao público! Vamos juntos!

Novembro vem aí com música e clipe novo, fiquem ligados!

 

Entrevista e edição de Matheus Luzi

 

 

 

 

 

Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.

Continue Reading
Clique para comentar
0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
EnglishPortugueseSpanish
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x