Conecte-se conosco

Clipe

Cantor Berg Menezes sai da zona de conforto em seu novo clipe, “Qual a sua revolução?”

Publicado

em

(Crédito: Alana Linhares)

 

O ano de 2020 se inicia muito bem para o cantor cearense Berg Menezes, que lança nesta quinta-feira (6) seu novo videoclipe. A música escolhida é a mesma que dá título ao seu álbum mais recente: “Qual é a Sua Revolução?”, de 2018.

Como muitas outras músicas do disco, a canção fala de movimento, de sair da zona de conforto e também ir para o confronto. “Qual é a sua Revolução?” se desenvolve como se desse vários conselhos, como se cada jeito de viver no mundo tivesse um porém, uma contraindicação, uma ressalva.

Mas a ideia, segundo Berg, não é colocar entraves e sim alertar pros obstáculos: “De alguma maneira são conselhos que eu dei a mim mesmo, ao compor a música. São formas de pensar em coisas que eu desejo e lembrar que o desejo é parte do processo, mas que tem mais a ser considerado. Como quando digo: ‘Pra quem tem desejo, só o desejo não te ensina enxergar’. É como se além do impulso, tivéssemos que ouvir, considerar, entender o que o mundo nos mostra ao redor através de outras pessoas e do contexto”.

 

 

INDO ALÉM!

E nada mais revolucionário do que tocar na rua para um público totalmente novo! No clipe, Berg apresenta momentos de seu show feito na famosa programação de domingo da Avenida Paulista, onde artistas de várias linguagens se apresentam para uma quantidade enorme de pessoas, que caminham livres, sem a interferência dos carros.

A apresentação foi fruto de uma mini-turnê que o cantor fez em São Paulo, no fim do ano passado, que contou também com participação no programa “Release Showlivre” e na casa de show Pickles. Mas o vídeo não mostra só isso: nos apresenta também o trajeto feito por Berg e seus companheiros até o local do show, fazendo um paralelo dos obstáculos que artistas precisam transpor para alcançar seus sonhos; além da imensidão da capital paulista, que pode ser hostil para alguns, mas cativante para quem tem a coragem de se aventurar nela.

 

(Crédito: Alana Linhares)

 

ZONA DE CONFORTO? EU DIGO NÃO!

Essa não é a primeira viagem de Berg para tocar fora do Ceará. Mas a cada novo lugar conquistado, a sensação é de um novo desafio. Sobre desbravar novos caminhos ele fala: “Sair da sua cidade para abrir espaços, como o que fizemos em São Paulo, é um desafio e uma combinação de sensações, que vão desde a insegurança com todos os custos que isso envolve até a satisfação de ver alguém tentando cantarolar uma música sua que está ouvindo pela primeira vez”.

“Tocar na rua eleva isso ainda mais por que permite tocar para um público completamente heterogêneo: Homens, mulheres, crianças, das mais diferentes orientações religiosas e políticas. E as imagens desse clipe trazem isso com toda sinceridade. Mostra a gente saindo do hostel, carregando equipamento, montando e fazendo um som do jeito mais honesto que se pode fazer. A captação feita pelo Lucas Menezes e o trampo de edição e finalização do LAN e da Lemid conseguiu captar a essência do que sentíamos naquela tarde na Paulista. Gostamos muito do resultado!”, explica ele.

 

SOBRE BERG MENEZES

Atuando na cena cearense há mais de 10 anos, Berg Menezes participou das bandas Relicário e Os Coadjuvantes, e a partir de 2011 começou sua carreira solo. De lá pra cá lançou quatro trabalhos: os EPs “Imperfeito” (2013) e “Vagabundo” (2014); seu primeiro álbum cheio, “Pedra” (2016); e em 2018 lançou seu mais recente disco, “Qual é a Sua Revolução?”, que foi viabilizado por uma campanha de crowdfunding.

Ao lado dos músicos Artur Guidugli (percussão e vocais), Álvaro Abreu (bateria), Daniel Calvet (baixo e vocais) e Pedro de Farias (guitarra), o músico apresenta canções que falam sobre dualismos e conflitos, sejam pessoais, sociais ou políticos. “Qual é a Sua Revolução?”, seu segundo disco cheio, traz arranjos fortes e marcados mais uma vez pela sonoridade de guitarras e experimentações sonoras, apostando também na música percussiva e no poder dos arranjos vocais. O álbum é o reflexo de uma sonoridade mais densa e contemporânea de Berg que, neste trabalho, explora ainda mais seu lado intérprete.

Berg Menezes também participou de dois grandes tributos a artistas nacionais: “O Mundo Ainda Não Está Pronto – Tributo ao Pato Fu”, gravando a música “Um Ponto Oito” e “Das Verdades que Eu Sabia”, em homenagem à carreira de Guilherme Arantes, onde fez uma releitura do sucesso “Meu Mundo e Nada Mais”.

Em 2019, Berg lançou um remix da música “A Cura”, feita pelo produtor Matheus Brasil, e também o clipe de “Saia Dessa Ilha”, gravado na passagem que o cantor fez pela Irlanda. Além disso, no fim do ano emplacou uma mini-turnê na cidade de São Paulo, onde participou do programa de Youtube “Release Showlivre” e realizou dois shows.

 

(Textos da assessoria de imprensa)

 

 

 

 

 

Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.

Continue Reading
Clique para comentar
0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
EnglishPortugueseSpanish
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x