Conecte-se conosco

Sem categoria

[ENTREVISTA] A arte da pintura nas mãos de um casal jovem!

Luan FH

Publicado

em

 

Pinturas transformam mundos sem cores em algo interessante, chamativo e bonito. O desenho rabiscado em papéis, e até a coragem de cursar e aprender fazer tatuagem, trazem motivação a este casal. E onde há talento, vou atrás, pois esse casal exibe uma união forte, sinceramente a arte agradece.

Adriano Hanh Fernandes tem 19 anos, é desenhista, nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, no ano de 2001. Já a sua namorada, Grace Esther Vargas tem 16 anos, é pintora, nasceu em Sapucaia do Sul, Rio Grande do Sul, no ano de 2004.

 

A HISTÓRIA CONTADA POR ELES

GRACE – A gente já estava com esse pensamento de “poxa, queremos fazer alguma coisa que nos dê uma renda”. Na época a gente estava morando juntos e tínhamos bastante tempo livre. Eu lembro de um dia que me deu vontade de customizar uma camiseta porque sempre gostei de fazer essas coisas, desde pequena, e eu peguei uma camiseta lisa amarela e pesquisei no Pinterest algo simples de se fazer. Achei uma estampa de uma abelha, com a frase embaixo: “Bee Kind”. Eu achei isso fantástico, então fiz e ficou muito bom. Quando terminei e o Diogines viu, acho que a gente pensou na mesma coisa e no mesmo dia a gente já tinha tudo pronto: Página, fotos, roupas. Passamos boa parte da noite em claro, só pensando em tudo que poderíamos fazer e como faríamos.

A loja ficou com esse nome mesmo, Bee Kind, nós no insta somos (@bee_kind_blusas)

(Pintura de Grace)

DIOGINES – Eu desde pequeno era apaixonado por desenhar, fui me aperfeiçoando com o tempo e lá pelos 14 anos tive uma ideia de fazer uma HQ, comecei a desenvolver os personagens e a fazer as criações de tudo, até do roteiro, depois de muita adaptação dos personagens e mudanças deles, do traço e do estilo de desenho, eu fiquei satisfeito no começo desse ano, pois comecei a passar a história para o papel. Além de ser old school e fazer tudo a mão e no papel…

GRACE – No momento a gente está com um brechó, mas sempre estamos inventando alguma coisa pra ganhar um money.

Ano passado tinha o aniversário de um amigo e eu não sabia o que dar de presente, mas sabia que ele também pintava telas e que gostava de arte, decidi dar uma tela pra ele, foi a primeira que fiz mesmo. Em 2019, então.
Daí eu lembro que usei o molde de umas rosas numa revista de crochê ou pintura de pano de prato da minha mãe, algo do gênero. Coloquei uma folha em cima e repeti o traço, não deu muito certo e eu fiz olhando. Eu acho que sempre tive o olho muito bom para olhar algo e reproduzir no papel, faço isso desde que aprendi a pegar num lápis
E eu sempre quis fazer mais, mas faço curso de magistério, é bastante puxado e nunca consigo conciliar muitas coisas.
Inclusive quero ser professora de artes, antes gostava da idéia de ser médica neurologista, mas assim que entrei no magistério, todo esse meu sonho mudou!

Ah, um ponto importantíssimo: boa parte do que eu sei sobre sombreamento, misturar cor e tal, aprendi com o Diogines. Eu só me aventurava em misturar a tinta com a água pra dar mais leveza e uma cor se mesclar com a outra, de resto, meu dom é dele. Claro que era eu quem ele achava pra acertar os detalhes porque mesmo sendo míope, eu sou uma chata detalhista.

 

Luan FH – A iniciativa para pintar, desenhar e até mesmo tatuar, de acordo com o Diogenes, veio do quê?

Diogines – Veio de mim mesmo e aumentou dps de saber que meu pai desenhava


Luan FH – O que a arte significa para vocês?

Diogines – Tudo!

Grace – Sem querer ser clichê, mas significa boa parte da minha vida. Não seria nada sem pintar ou desenhar!


 

(Arte assinada pelo casal)

 

Luan FH – Em frente ao cenário artístico, o que vocês acham dessa falta de interesse jornalístico de querer conhecer a pintura, o desenho, essa arte maravilhosa que é expressar através de telas e folhas?

Diogines – Eu acho um descaso com a cultura em geral! Não apenas com esse tipo de arte…

Grace – Nossa, acho um absoluto descaso, né? Como a arte é repudiada e deixada de lado, pra mostrarem assuntos tão banais…


Luan FH – Quando vocês praticam as suas artes, o que sentem?

Grace – Eu sinto que saio de órbita, esqueço de tudo!

Diogines – Calma e stress ao mesmo tempo.


 

Luan FH – Vou deixar esse espaço livre para vocês dois conversarem e quererem passar alguma mensagem.

Grace – A mensagem que eu poderia passar acho que seria: por favor, não cortem a arte da educação. Sem as cores não saberíamos existir, sem essa noção de desenho não conseguiríamos nos expressar. Valorizem a arte, em todos os sentidos, todos os tipos de arte.

Diogines – Eu queria passar aos pais principalmente, se puderem apoiar o filho de vocês em seus dotes artísticos, seja qual for, apoiem e dêem total valor a isso, quando seu filho chegar com um boletim e nele ter uma nota ruim em matemática, mas com a nota máxima em artes, não brigue por ele ter ido mal, o sistema de ensino já falha em apoiar o talento individual de cada aluno, mas não façam isso vocês também com seus filhos, apoiem eles ao máximo e ajudem!

 

(Desenho de Diogines)

 

PEQUENA RESENHA DO AUTOR DA REPORTAGEM

Já é bonito ver uma pessoa que está no mundo artístico, mas quando vemos um casal que se apoiam, se unem para tentar conquistar uma vida nesse mundo artístico, é ainda mais bonito. A determinação, dedicação acaba chamando a atenção; e uma hora a bomba explode e o apoio vem. Infelizmente onde há talento e coisa bonita, é preciso ralar os joelhos para poder ser visto, ser valorizado. Então não é muito fácil, porém, eles lutam e permanecem juntos visando um futuro digno e com mérito!

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish