Conecte-se conosco

Especial

AUSÊNCIA DE RECONHECIMENTO – A depressão e o desânimo na vida dos artistas

Luan FH

Publicado

em

Um artista tem a mania de pensar no futuro próspero; pondo fé em uma carteira bem sucedida. Só que o tempo cansa, a espera cansa, a produção começa a encher e o mais triste é a pouca venda de algo ou o pouco ‘like’ e compartilhamento.

Então, o que começa a ser algo bem desejado, bem elaborado, passa a se tornar um pesadelo, algo que deixa para baixo. 

O POVO GOSTA DE CELEBRIDADE

A arte deixou de ser apreciada a muito tempo, a leitura em si foi esquecida. Quem compra livro hoje em dia e experimenta ler em um ônibus, se torna atração principal do dia, tendo um destaque; a escolha do livro no lugar do celular. Hoje o povo só quer saber de quem está no auge, de quem canta ”arrasta a bunda no chão e rala”, entre outras e poucas. É conceitual, é o que dizem. 

O artista em si tem a noção de ouvir ”Você é bom, gosto muito do seu trabalho, parabéns!”, mas na hora H, na hora de comprar a obra, a peça, muitos acabam virando a cara e deixando de lado o apoio. O mais triste é vivenciar em um século onde a arte deixou de ser algo apreciado para virar algo reflexivo a comédia, virou piada. Existem pessoas que menosprezam quem se dedica a arte.

A mente de um artista é turbulenta, silenciosa e caótica. O desânimo anda lado a lado, e por conta disto que a depressão vem, por falta de expectativa, por frustrações que acabou passando. Costumo dizer ”artista apaixonado(a) se expressam com o coração”, ainda mais quando se trata de decepção amorosa. O limite se quebra no mesmo momento e a arte produzida tem seu peso. 

O povo gosta de celebridade, principalmente a geração atual, geração essa que deixa livro de lado para pegar no celular e olhar instagram, apreciar fofoca, palpite, stories, entre outras coisas. É 24h sentado ou deitado, ou movimentando na rua visando uma fala de uma celebridade ”Fulana fez plástica”, ”Fulano traiu fulana”, ”Música de fulana vira hit para carnaval”. É a real perda de tempo está acontecendo nos tempos atuais. 

DEPRESSÃO E DESÂNIMO

O início de um sonho é mais empolgante quanto a quase realização dele — E viver no quase o tempo todo é muito chato. E pode acreditar, tem artistas que estão nesse quase faz exatamente três anos, cinco, por aí. A tristeza consome tanto que até os olhos se enchem de olheiras, é luta, é luta, é luta, luta atrás de luta e poucos dias de glórias. Nessa etapa os artistas passam pelo processo de dúvida ”Será que vale a pena mesmo? Poxa, não está dando certo, estou quase desistindo!”

E com razão, não? Acontece isso várias vezes por conta da vida pessoal interferir com a vida profissional; se a vida emocional não estiver bem, automaticamente a vida profissional estará mal — Perceba que o(a) artista apaixonado(a) fará arte sobre o que sente, é automático. O que mais é falado no mundo da arte são os processos. (Processos emocionais), etapas, as mesmas que ajudam para criar asas e voar livremente. 

Processo de cura, processo de amadurecimento, processo de dores, processo de criatividade e entre outros. Existem vários processos na vida, e isso mistura na arte, na vida de artistas. E os mais desvalorizados são os escritores, pintores, dançarinos, atrizes e atores (Em minha humilde opinião), porém, todos artistas em si passam por dificuldades grandiosas, desertos amargos.  A depressão começa pelo desânimo e nos tempos atuais está ocorrendo em grande escala.  

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish