23 de junho de 2024
Além da BR

A saudade de Mary Mahaffey em forma de country

A cantora e compositora estadunidense Mary Mahaffey teve como inspiração para sua nova música a saudade de seus familiares e seus pares. Quando Mary se mudou para a Europa viveu várias experiências de dor, de saudade de casa. É este o cenário que fez nascer a canção “I Would Take a Boat”, um country acústico ao gosto norte americano. Mary menciona o refrão como grande exemplo do sentimento desta música: “Eu pegaria um barco, pegaria um trem, querida, se eu tivesse dinheiro, compraria um avião para mim”.

“Claro que a pandemia dificultou ainda mais o distanciamento, e essa música é um reflexo disso. Lembro-me dos meses em que fiquei presa em Barcelona, ​​sem poder voltar para casa. Essa música me ajudou a superar esses sentimentos de solidão e saudade de ver minha família novamente, e espero que faça o mesmo para as pessoas que estão ouvindo a música e que também podem estar longe de casa.”, disse ela em entrevista à Arte Brasileira.

Apesar disso, “I Would Take a Boat” tem uma mensagem que transcende o gancho que a fez nascer. “Embora a música fale de saudades, no final, o amor e a esperança perduram além das distâncias. Minha esperança é que as pessoas que ouvem a música sintam isso. Espero que sintam que mesmo quando estão longe de casa, o amor que sentem um pelo outro está sempre próximo, e esta é a luz que os conduz.”, diz ela.

A música, que tem produção musical assinada pelo espanhol Alberto Peréz no estúdio Sol de Sants em Barcelona, tem uma sonoridade tão agradável que parece preencher o sentimento de saudade vivenciado por ela. Composta no violão, a canção é definida por Mary como “uma verdadeira sensação americana”. “Acho que a instrumentação final, incluindo guitarra pedal steel, órgão Hammond, violino e contrabaixo, dá uma verdadeira sensação americana.”, conta Mary.

Há também uma curiosidade interessante sobre a composição de “I Would Take a Boat”. “Escrevi esta música para meus sobrinhos e sobrinhas, que moram nos Estados Unidos, enquanto eu moro em Barcelona. Como são muito jovens, é sempre muito difícil dizer adeus, e nem sempre eles entendem. Eu escrevi essa música, para que eles sempre saibam o quanto eu os amo, não importa quanta distância esteja entre nós.”.

O single está disponível em todas as plataformas de streaming. Convidamos você, caro leitor, para apreciar este som!

administrator
Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.