13 de abril de 2024
Além da BR

Playlist “Além da BR” #120 – Sons do mundo que chegam até nós

além da br

Somos uma revista de arte nacional, sim! No entanto, em respeito à inúmeras e valiosas sugestões que recebemos de artistas de diversas partes do mundo, criamos uma playlist chamada “Além da BR”.

Como uma forma de estende-la, nasceu essa publicação no site, que agora chega a sua 120ª edição. Neste espaço, iremos abordar alguns dos lançamentos mais interessantes da playlist.

Hale The Wolfe – “Jameson” – [MINI ENTREVISTA]

Resumindo, que música é essa? Jameson é uma história sobre o bartender e banda local favorito de todos, isto é para o operário durão que trabalha a semana toda e mal pode esperar para encontrar todos os seus amigos no bar local no fim de semana. Jameson pode ser a mais nova chegada à cena ou a mulher mais velha que sabe exatamente como criar bons momentos para todos os heróis locais.

Qual foi sua fonte de inspiração para escrever essa música? Essa música surgiu ao ver alguns motociclistas velhos se divertindo com um barman mais velho. Eu poderia dizer que ela lhes deu uma fuga da rotina. Atlanta tem uma cena de bandas locais tão legal que me fez querer criar o lugar perfeito para passar sexta ou sábado à noite.

Qual é a sua mensagem para o mundo? A mensagem com Jameson é simples, mas inspiradora. Você pode olhar para as redes sociais e ficar deprimido com o que todo mundo está fazendo, quando na verdade você pode criar os melhores momentos da sua cidade no seu bar favorito. Conheça todos, chegue em casa e faça dele um destino. As experiências da vida real são sempre melhores! E a vida é melhor compartilhada!

Como você avalia essa música dentro do universo do rock? Eu sinto que essa música tem um arranjo mesclado que tem um som clássico com guitarra e sino de vaca, mas sinto que os vocais e o refrão têm uma energia mais nova que a torna uma música independente em 2024.
Esta é uma música para trazer todos pessoas juntas e aproveitar o momento.

Respostas Hale The Wolfe

Volney Morgan & New-Ye – “He Is” – (Reino Unido) – [MINI ENTREVISTA]

O que é esta música, em resumo? No mês de fevereiro nós celebramos o amor internacionalmente, ‘He Is’ demostra o nosso amor por Deus.  É a música Gospel com o R&B e nós estamos empolgados com isso.

Aprofundando, o que a letra diz? A letra fala sobre os atributos de Deus. Que Ele pode ser todas as coisas que todas as coisas que nós precisamos que Ele seja, amigo, Rei, pai, salvador e super-herói; Ele é tudo o que precisamos. A Bíblia diz que que Ele nunca nos abandona ou desampara mas que Ele estará conosco até o fim, que cada jornada que muitas pessoas não podem lhe acompanhar, ele te acompanha mas como lhe guarda.

Em qual situação esta música nasceu e como foi este momento? O produtor original desta música  é uma das mas minha produtores mais favoritos.   Quando eu pesquisei está música eu me amei muito ela poque eu me lembrei dele me falando do processo de escrevê-la e expressando o amor Deus é quem Ele é e poder compartilhar isso com Brandy and ela expressando através das letras, melodias e harmonias é mostrar o que o amor é.   E também pode ser interpretada em tantas outras formas, entre você e Deus, você é outra pessoa e para mim está a beleza do amor,  existe para ser compartilhado.

Há algo neste lançamento que você queira destacar? O processo de gravação no estúdio foi legal e experimentador.   Nós tivemos que descobrir a nossa própria  maneira de gravar e interpretar esta música como no original porque tem muitas camadas, então eu e o meu produtor tivemos que trabalhar com muito cudado e mergulhar fundo na hamomia e traduzir para o coral e virar para o nosso som. Decidimos para um som ao vivo e gravar tudo em no mesmo estúdio na mesma hora ao invés de gravar em partes para que o som do acústico deste esta música um tom mais especial.

Respostas Volney Morgan & New-Ye

Ian Abel“You Know I’m Right” – (Estados Unidos) – [MINI ENTREVISTA]

É possível resumir a música em algumas palavras? “You Know I’m Right” é um hino dance-pop divertido, travesso e sombrio.

O que diz a letra? A música é basicamente sobre assistir um amante perseguir outros homens, sabendo que ele sempre voltará. Eu canto sobre como ele está “apenas perdendo tempo” em suas outras atividades.

Descreva esta canção musicalmente. É sombrio e alucinante, em tom menor, mas também é super dançante. É uma ótima música para se pavonear pela rua. Gravei os vocais de uma forma legal e ofegante para evocar confiança, mas a música fica mais caótica e em camadas à medida que avança para comunicar a obsessão oculta sob a letra.

Há algo neste lançamento que você queira destacar? Thank you so much for sharing this song with a Brazilian audience!  Eu sou meio brasileiro (meu pai nunca me ensinou português, mas adoro o Brasil e já estive lá muitas vezes).

Respostas Ian Abel

Benjamin Longmire – “The Days” – [MINI ENTREVISTA]

Se fosse o caso, como você apresentaria esta música à um amigo antes dele ouvi-la? Se eu fosse apresentar essa música para um amigo diria que é sobre superar as adversidades do mundo e permanecer forte nos momentos difíceis… Nunca desistir…

Qual história você canta na letra? A história da música reflete o quão difícil o mundo pode ser, mas é preciso viver seus sonhos e ser paciente, não importa o quão difícil seja a vida.

Como esta música surgiu, o que a inspirou? A música foi inspirada na ideia de que o trabalho duro valerá a pena no longo prazo…

Há algo neste lançamento que você queira destacar? A música pretende ser comovente e honesta. Acho que a honestidade é a coisa mais importante nessa música. TRABALHE DURO JOGUE DURO

Respostas Benjamin Longmire

Chorus of Courage“Sweet Little Hummingbird” – (Canadá) – [MINI ENTREVISTA]

Que história você canta na letra? Escrevi “Sweet Hummingbird” como uma resposta a Denyse e sua história. É uma história de abuso e de luta contra a dor que foi compartilhada comigo por meio de uma carta que ela me escreveu e depois por meio de conversas que tivemos uma com a outra, nas quais ela entrava em mais detalhes sobre o trauma que enfrentou quando era jovem e como ela superou isso. As coisas horríveis e horríveis que aconteceram com ela me assustaram profundamente e prometi manter sua história perto do meu peito e usar a música e a poesia como uma forma de curar, comunicar e revelar a força pura e a ressonância pura que ela ilumina.

Como surgiu essa música, o que a inspirou? Lembro-me disso vividamente. Era uma noite fria de outubro. Eu estava chegando para fazer o check-in no meu hotel. Era o fim de semana da conferência Folk Music Ontario. Enquanto eu carregava meu equipamento, a artista/terapeuta Cindy Doire me perguntou se eu estaria interessado em trabalhar em um projeto com ela e alguns outros músicos chamado “Chorus Of Courage“. Estava em seus estágios iniciais, mas algo sobre o projeto me chamou a atenção e eu imediatamente disse que sim.

Chorus of Courage é um espaço criado para abrigar e homenagear as vozes e histórias de sobreviventes da violência. Quando todos nos reunimos como grupo, eu não sabia o que esperar ou como reagiria. A verdade é que todos nos tornamos amigos e aliados criando um lar para explorar algumas das experiências mais difíceis que se possa imaginar. Chorus of Courage é uma conversa fluida que contém a beleza e os horrores de mulheres que viveram experiências traumatizantes – é uma tentativa de encontrar algumas palavras e significados, juntos, como um coletivo.

Descreva esta música musicalmente. – Há algo neste lançamento que você queira destacar? Ao partilhar estas canções de resiliência e esperança, procuramos inspirar empatia, iniciar conversas e catalisar mudanças positivas. Nosso objetivo é criar um efeito cascata que eleve a conscientização, quebre barreiras e promova uma cultura de respeito e apoio. Juntos, somos um testemunho do espírito indomável de todas as vozes e defendemos um mundo onde as vozes sejam ouvidas, honradas e fortalecidas.

Respostas Chorus of Courage

administrator
Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.