21 de fevereiro de 2024
Além da BR

Single de estreia de Robert Stefans reflete o poder social e afetivo do abraço

O cantor e compositor norte-americano Robert Stefans se debruça, em seu single de estreia “Higging Love” sobre um tema incomum em canções: o abraço e questões sociais e existenciais que há nele.

“A mensagem principal é que abraçar é um ato social muito importante para expressar carinho, apoio e amor por outro ser humano. As mulheres entendem isso melhor que os homens. No passado, a maioria dos homens na América tendia a evitar abraçar os outros, especialmente outros homens. Mas tudo isso mudou agora com os abraços das equipes esportivas, as comemorações e a influência da cultura latina na América. A cantora nessa música nota a contradição entre o modo como o namorado parece ter medo de abraçar e tocar. No entanto, quando ele está com seus amigos, é um ‘zoológico abraçando manos!'”, contou Robert ao ser provocado pela Arte Brasileira.

Há outro ponto ao qual ele dedica sua fala: “Nas relações homem-mulher, a mulher está mais atenta à questão do abraço como sinal de afeto e sinal de interesses de longo prazo. Os rapazes tendem a evitá-lo por medo de que isso demonstre comprometimento com um relacionamento. Os homens têm o cuidado de zelar pela sua liberdade, enquanto as mulheres procuram compromissos relacionados com as necessidades do ciclo de vida.”

Em sua juventude, levando em consideração a idade de 79 anos do artista, o abraço era um tabu entre homens, e isso influenciou o surgimento desta canção. “É claro que as mães se abraçavam quando éramos crianças. Esta ausência de toque por parte de um pai tem uma influência a longo prazo sobre um jovem homem, tanto em termos de ele sentir falta de um abraço de um pai que sinaliza aceitação e carinho (não competição freudiana) como na sua continuação desta norma social quando ele é pai. No meu caso, tomei uma decisão consciente de quebrar essa norma com meu filho. Nós nos abraçamos o tempo todo.”

Indo além, o artista faz uma nova reflexão: “Os psicólogos notaram o efeito poderoso que o toque e o abraço exercem sobre o desenvolvimento das crianças. Existem exemplos dolorosos em todo o mundo dos efeitos negativos sobre as crianças decorrentes da ausência de toque através do abraço e da ausência de toque masculino. É de se perguntar sobre líderes como Putin, Trump e outros e suas relações com seus pais. A partir disso resolvi escrever uma música sobre abraço e amor!”

Ao ser questionado sobre a sonoridade e melodia de “Higging Love”, Robert não hesitou em refletir: “De onde vem a melodia de uma música? Geralmente acho que cantar tende a copiar sons naturais da fala comum. Se você olhar para uma música do musical Pacífico Sul, a frase ‘Vou tirar aquele homem do meu cabelo!’, se pronunciada com a mesma tendência emocional de cantar, quase aponta para o que acontecerá. seja a linha da música de abertura. O mesmo em Hugging Love , essa primeira linha é uma declaração de frustração, ‘não vou aguentar mais! Sempre batendo na sua porta!’ que, quando falado com raiva para alguém durante uma conversa, é muito próximo de como você deseja que a música soe. Então você quer que o som da música imite uma conversa natural. Observe como na ópera a necessidade de projeção de voz tende a distorcer os padrões naturais da fala.”

“Hugging Love” é um dos doze fragmentos do álbum de estreia artista, “Ecclectic Menagerie”, lançado neste caloroso 2023. Apesar de ter 79 anos, este é o ano em que ele iniciou seus lançamentos oficiais.

administrator
Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.