Conecte-se conosco

Música

Assini dá um show de sensibilidade no indie pop “dancing alone”

Matheus Luzi

Publicado

em

(Capa de “dancing alone” – Crédito: Luís Henrique crema)

Com carreira iniciada em 2018 partindo do single “Dance Until I Die” e do EP “Tragic But Magic”, o cantor, compositor e pianista catarinense Assini é um daqueles artistas que surpreendem, não somente pela música em si, mas por toda sua originalidade e atitude, seus contextos e ideias (sejam elas musicais ou poéticas). Assim, seguindo a mesma onda de “I Would Die For You”, canção importante de sua recente discografia, o músico apresenta sua novidade, “dancing alone”, que traduzindo para o português, chegamos na ideia de “dançando sozinho”, sendo exatamente isso que Assini propõe neste lançamento.

“A música fala sobre estar com sua casa vazia, espaço vago que usualmente era preenchido por alguém. Então é sábado à noite, você está dançando, mesmo que em círculos, corre pra ver o nascer do sol, mas logo volta pra casa, pois você está dançando sozinho. Muitas pessoas estão ‘dançando sozinhas’ hoje. Eu perdi pessoas próximas também. Isso tudo é muito triste. Me coloco no lugar delas.”, explica.

Se a gente chegar na sonoridade de “dancing alone” é bem perceptível a estética indie pop e, indo mais específico, o piano ainda é seu motor criativo e apoio como instrumento. No entanto, na gravação há espaço para violão, cordas, guitarra e coral, tudo sob produção musical de Davi Carturani, do Pistache Estúdio, de Brusque (SC), a cidade natal de Assini.

O single abre espaço para aquela pergunta: “E os próximos, quando virão?”. A resposta para essa questão, o próprio artista dá: “Eu acho que a pandemia não me permite criar muitos planos. Eu quero soltar o que produzi aos poucos e investir na divulgação digital. Torço para que alcance muitas pessoas, é esse meu objetivo final. Se alguém se emocionou e sentiu, valeu a pena.”

(Crédito – Luís Henrique crema / Divulgação)

LETRA (TRADUÇÃO)

“É sábado à noite e eu estou dançando sozinho 

E eu sinto a diferença 

É difícil quando eu coloco nossa música favorita

Pois você não está mais aqui

Há muito espaço entre o quarto e a sala

Suas coisas ocupavam ele por inteiro 

Agora eu posso dançar mesmo que em círculos eu me movo

E em voltas eu sigo 

Eu preciso correr pra ver o pôr do sol 

E depois voltar pra casa 

Pois agora estou dançando sozinho”

FICHA TÉCNICA

Composição e vocal: Assini

Produção e instrumentos: Davi Carturani

Onde: Brusque (SC), Pistache Estúdio

SOBRE O ARTISTA

Sem medo e com muita liberdade, o cantor e compositor catarinense Assini, abre espaço para revelar seus sentimentos mais íntimos, em um mundo cada vez mais violento. Em diálogo com o pop Indie, influenciado pelo rock dos anos 1980 e 90, o músico encontrou o ritmo perfeito para exercer seu ativismo LGBTQ+. “Meu sonho é fazer música pro resto da vida. Isso não significa uma monstruosa fama. Se vier reconhecimento, é incrível também.”

Os primeiros versos de Assini, surgiram aos 13 anos de idade, quando a auto aceitação ainda era uma tarefa difícil e dolorosa. Por viver em uma cidade do interior, com aproximadamente 4 mil habitantes, a resistência contra os preconceitos é diária. E a resposta dele para isso tudo é “Não deixe ninguém te aprisionar. Seja orgulhoso de quem você nasceu para ser”.

Nascido na cidade de Brusque (SC) em 1996, o artista carrega em seu repertório autoral os EPs “Tragic but Magic” (2018) e “Gênesis” (2020), sendo que, desses trabalhos, duas delas já foram presenteadas em forma de clipe. Segundo suas próprias palavras “Esses primeiros lançamentos foram um teste, para encontrar o próprio sentido da minha sonoridade”.

Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.

Continue Reading
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish