18 de julho de 2024
Geral

Playlist “Além da BR” #159 – Sons do mundo que chegam até nós

Além da BR

Somos uma revista de arte nacional, sim! No entanto, em respeito à inúmeras e valiosas sugestões que recebemos de artistas de diversas partes do mundo, criamos uma playlist chamada “Além da BR”.

Como uma forma de estende-la, nasceu essa publicação no site, que agora chega a sua 159ª edição. Neste espaço, iremos abordar alguns dos lançamentos mais interessantes da playlist.

George Masri“Sa3idi” – (Estados Unidos) – [MINI ENTREVISTA]

O que é esta música, em resumo? A música “Sa3idi” de George Masri  apresenta uma melodia egípcia popular e tradicional tocada pela flauta Mizmar. George Masri adiciona seu toque característico à faixa através de batidas EDM energéticas para modernizar a melodia.

Qual sua mensagem ao mundo por trás do instrumental, seu conceito? Meu conceito e mensagem por trás dessa música é espalhar meu som característico, que combina música eletrônica de dança com música oriental egípcia. Esta fusão única e criativa pretende trazer à mesa algo novo que inspire o público.

Como e por que a música surgiu? Essa música surgiu quando ouvi a melodia original de “Mizmar” ou Zurna em um filme egípcio. Imediatamente, surgiu-me a ideia de utilizá-la, adicionando novas batidas de EDM e tornando-a uma faixa de dança moderna.

Quais elementos da música mundial podemos encontrar nesta música? Esta música traz elementos da música tradicional egípcia do alto Egito. A palavra “Sa3idi” significa uma pessoa do alto Egito. Esta música apresenta uma de suas melodias mais populares usando o instrumento mais popular do povo “Sa3idi”; o “Mizmar” ou Zurna. Tudo isso vem em fusão com EDM para criar este gênero híbrido Arab Trap/EDM de George Masri.

Há alguma curiosidade sobre este lançamento que você queira destacar? Esta melodia também foi incorporada em canções de outras culturas, incluindo a cultura libanesa. George Masri usou a melodia de uma forma única que não foi utilizada por outros artistas; adicionando Trap, Moombahton e bateria árabe a esta faixa para dar-lhe uma nova variedade. Espero que vocês gostem de ouvir!

Respostas George Masri

Todd Binder“Easy Kinda” – (Estados Unidos) – [MINI ENTREVISTA]

Você tem que apresentar essa música para um amigo, o que você diria? “Aqui está uma diversão para você!”

O que essa música diz ao mundo?  Há muita pressão social hoje para “acertar” ou ser “o melhor”. Esse tipo de pressão pode paralisar ou trazer à tona o que há de pior em nós.
Muitas vezes nos adiantamos . Precisamos lembrar: as melhores coisas levam tempo! Facilite – dê um passo de cada vez!

Como e por que a música surgiu? Eu me senti como um hamster na roda do amor, apenas tentando acompanhar e precisando de uma pausa, desejando um caminho melhor. A gravação quase não aconteceu. Foi uma tentativa de reposição não ensaiada de última hora durante uma última sessão de gravação que eu tinha planejado em São Francisco. Na época, eu estava bastante exausto e acho que a tremenda pressão autoimposta para ter um bom desempenho foi capturada em meu desempenho. No final, acho que deu certo!

O que a capa da música representa? Havia várias outras opções artísticas para escolher. No final, decidi fazer uma foto simples minha com o espírito de dar um passo de cada vez, me apresentar ao ouvinte e manter as coisas simples.

O que essa música diz sobre o seu país, os EUA? Ainda é a terra das oportunidades. Aqui nos EUA, tive a sorte de ter sido exposto a tantas culturas variadas. Como fornecedor do que chamo de música “alt-indie”, não tenho medo de escrever músicas que combinem uma ampla gama de gêneros distintos em uma única música (neste caso: indie rock, indie folk, alt-country, americana e pop rock, entre outros). O truque é fazer isso sem que isso distraia.

Respostas Todd Binder

Haiku Redo“Who You Really Are” – (Nova Zelândia) – [MINI ENTREVISTA]

Como e por que surgiu essa música: Musicalmente essa música nasceu da sugestão de um amigo de usar um capo no meu violão. Com um pedal de guitarra duplo, o riff simplesmente se encaixou.
Suponho que a música seja sobre o velho ditado “nem tudo que reluz é ouro”. Conhecer alguém que inicialmente parece ótimo, mas logo se torna um pesadelo. Finalmente descobrindo que sua nova namorada vota conservadora.!!!!!!

Como você define essa música. Terminamos o set ao vivo com essa música por causa de seu ritmo acelerado e alta energia. Isso faz todo mundo balançar e termina o set com um floreio.

Qual é a influência da world music nesta música? Todos somos influenciados por bandas que amamos ao longo dos anos. Algumas das bandas que eu pessoalmente amei e que definitivamente me influenciaram são The Buzzcocks, The Beths, The Cure, The Only Ones, PJ Harvey, para citar alguns.

Meu parceiro (que também é baixista do Haiku Redo) e eu acabamos de embarcar em uma aventura incrível no México. A arte do single e o vídeo apresentam imagens daquele feriado. O uso das máscaras LUCHA LIBRE foi uma forma de destacar que às vezes a máscara precisa ser removida antes que o verdadeiro indivíduo seja descoberto.

Respostas Haiku Redo

Garage 21“En El Desierto” – (Paraguai) – [MINI ENTREVISTA]

Em resumo, o que é esta música? A música trata de temas muito sérios, como suicídio e depressão. O vídeo e as emoções que ele trata mostram muita ansiedade e angústia. É um assunto que a banda nunca tocou tão abertamente.

O que esta música diz ao mundo? Essa depressão é um sentimento universal. Algo que muitos não falam, mas que é tão normal quanto estar apaixonado.

Como e por que a música surgiu? A música surgiu de forma muito orgânica. Os integrantes da banda estão na casa dos 30 anos e como artistas sabemos que temos que ser honestos com a arte, portanto, é muito importante falar sobre coisas reais.

O que representa a capa da música? Na capa vemos um astronauta num deserto. Basicamente mostra a solidão, que um astronauta conhece muito bem, em meio a um ambiente hostil, como o deserto. Queríamos mostrar de uma forma legal qual é a música. Sobre como a vida pode ser dolorosa, solitária e hostil sem saúde mental.

Essa música diz algo sobre a música e a cultura do seu país, o Paraguaio? Apesar de sermos paraguaios, o que fazemos na arte não mostra tanto a cultura paraguaia conhecida na região. Tentamos ser o mais internacionais possível, na forma como nos expressamos, na nossa língua e pessoalmente, sim, para mostrar de onde viemos e quem somos. Orgulhosamente paraguaios.

Respostas Garage 21

Eric Devries – “Shadow of a Man” – (Holanda) – [MINI ENTREVISTA]

Em resumo, o que é esta música? _E_ste é o primeiro single do novo álbum ‘Traveler’s Heart’ que será lançado em setembro. Especialmente para este álbum, pedi a Iain Matthews (Fairport Convention, Plainsong) para cantar a segunda voz como convidado.

O que esta música diz ao mundo? Essa música diz ao mundo que somos todos falíveis. Às vezes dizemos coisas que não queremos dizer, às vezes nem nos reconhecemos e é difícil pedir desculpas. Aqui o personagem principal diz que normalmente é bom em reconhecer rostos, mas agora não se reconhece mais.

Como e por que a música surgiu? Esta música foi gravada no estúdio Doornenburg na Holanda. Imediatamente cantamos e tocamos a música ao vivo. O produtor Janos Koolen toca banjo, Lucas Beukers toca baixo e Joost van Es toca violino. Estou honrado em ter uma lenda como Iain Matthews cantando harmonia nesta música. Isto também se aplica à cantora holandesa Fay Lovsky. Quando a escrevi eu já sabia que essa deveria ser a primeira música do álbum.

Há alguma curiosidade sobre este lançamento que você queira destacar? Como mencionei, este lançamento é o primeiro do meu novo álbum. Depois do sucesso do meu álbum anterior de 2021 (Song & Dance Man), queria continuar com esses músicos. É um grande prazer fazer música juntos e felizmente a nova turnê começa em setembro. É meu quinto álbum solo e mal posso esperar para voltar à estrada.

Respostas Eric Devries

administrator
Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.