27 de maio de 2024
Geral

PUBLICAÇÕES DO INSTAGRAM – Notas e links

Desde o o início de 2020, nós da Arte Brasileira entendemos que o instagram é uma rede social que merece ser invadida por muita arte boa!

Desde então, de domingo a domingo, programamos de quatro à dez postagens diárias. Neste espaço, conseguimos trabalhar mais e, com poucas palavras, convidar nossos mais de 3 mil seguidores a lerem nossas notinhas.

Inicialmente, estávamos usando o linktree para inserir links. No entanto, em uma tentativa de melhorar a experiência de nossos leitores e, ao mesmo tempo, de facilitar o nosso serviço, decidimos criar essa página em nosso próprio site.

Aqui você vai poder acompanhar o que rola no instagram da Arte Brasileira e os links de cada publicação.

OBS: A lista contém apenas as indicações dos últimos dois dias.

Banda Tollrest amplia sua sonoridade com mais leve no single “Quem Devo Ser”

⭐Não muito próximo de uma de suas mais fortes influências (o grunge), o novo single da banda Tollrest tem um objetivo inteligente: “ser melhor do que ontem e autor do próprio caminho.”

Essa frase ilustra a mensagem de “Quem Devo Ser”, que pode ser oportuna para aqueles que buscam sensações de tranquilidade, reflexão, motivação.

Apesar dos temas cotidianos (somadas às críticas sociais) serem de praxe para a Tollrest, a sonoridade segue outra ideia, mais leve e apropriada com exatidão ao que propõe.

?A novidade está disponível nos apps de streaming e em clipe no Youtube a partir do dia 28 (sexta-feira).

?Capa do lançamento.

?Fonte: assessoria de imprensa.

Prêmio Sesc de Literatura 2022; Inscreva-se

⭐ Estão abertas as inscrições para o Prêmio Sesc de Literatura de 2022. O objetivo é premiar obras inéditas nas categorias de Conto e Romance.

Os autores (brasileiros ou não) devem residir no Brasil e selecionar apenas uma obra (destinada ao público adulto), que deve estar formatada na língua portuguesa.

Os dois vencedores terão seus livros publicados e distribuídos comercialmente pela editora Record (@editorarecord), com tiragem inicial mínima de 2.500 exemplares.

Os interessados têm até o dia 11 de fevereiro para realizar o processo de inscrição.

?Saiba mais!

?Divulgação.

?Fonte: Site oficial do Sesc.

Distante do Brasil, Rê Adegas representa sua saudade no single “Do Nada”, com feat de Jota Pê

MPB ⭐ Cantora desde os 17 anos, Rê Adegas (@readegas) coleciona muitos triunfos. O mais recente é como participante do The Voice Brasil 2018. Tempos depois da sua marcante presença no palco do reality global, Rê mudou-se para Portugal.

A distância do Brasil a colocou diante da saudade. Esse sentimento (em todos os seus âmbitos) é responsável pela composição de “Do Nada”, um pop/MPB que ela canta ao lado do paulista Jota Pê (@jota.peoficial).

?A novidade está disponível nos apps de streaming.

?Capa do lançamento.

?Fonte: assessoria de imprensa.

FICHA TÉCNICA —> Composição: Rê Adegas e Lucas Esvael (melodia), e Chico Alves (letra) / Produção musical: Leo Bracht e Guiza Ribeiro / Músicos: Guto Wirtti e Lucas Fê / Feat: Jota Pê / Selo: Loop Discos / Gravação em Portugal: Great Dane Studios, Nuno Fernandes, Mikkel Solnado / Foto da capa: Daryan Dornelles / Maquiagem da foto da capa: Cris Severo / Figurino da capa: Y.OM Hybrid Wear.

Banda paraibana Silver Lynx resgata e moderniza o movimento oitentista Glam Metal

⭐Movimento Glam Metal: um boom com raiz em Los Angeles nos 1980 e “enterrado” pelo grunge no início da década seguinte.

Originário do glam rock britânico setentista (David Bowie, como exemplo), o “metal farofa” (apelido à época) manteve maquiagens pesadas, a androginia, o apelo sexual.

No entanto, sua pegada musical apostou na maior rapidez, altitude, violência e simplicidade. A isso muito se deve a forte influência do hard rock.

Mais de 40 anos depois, ainda há vestígios dessa ideia. Uma banda brasileira, a paraibana Silver Lynx (@silverlynxband) é uma das que bebe ativamente dela, mas com traços de modernidade.

O grupo lançou dois singles em 2020, e em 2021 apresentou seu EP de estreia. Todos esses lançamentos imprimem a perseguição dos caras por esse estilo de se fazer rock n roll.

?Escute nos apps de streaming.

?Divulgação.

?Fonte: Gaúcha ZH (gauchazh.clicrbs.com.br/); e assesoria de imprensa.

Artista cearense Arquelano criou cantora digital e canta com ela no single “Mãos”

ARTISTAS SEM CARNE E OSSO ⭐ A ideia (assustadora, talvez) de criar artistas digitais ganhou força no Brasil e no mundo principalmente com a chegada da pandemia.

Porém, personagens virtuais como Dogão (criação de Rick Bonadio e do rapper Suave em 2004) já é uma realidade pequena, mas existente há mais de duas décadas.

Essa inovação, que evoluiu para o 3D e o realismo, estão algumas apostas, como War Nymph, alterego digital da cantora canadense Grimes, lançado em 2020. Alguns tímidos exemplos de sucesso (ou de anonimato) poderia aqui serem citados.

Mas em especial o caso do artista cearense Arquelano (@arquelano) merece destaque. Em dezembro de 2021, o músico em atividade lançou “Mãos”, que contou com o feat de ma ia (lê-se Maya), cantora digital desenhada e arquitetada por ele, também membro de um coletivo da capital cearense.

Para Arquelano, ma i.a é uma extensão de sua trajetória artística e pessoal. A personagem 3D é negra, com traços indígenas, brasileira em sua sonoridade, e boa na música eletrônica e no hyperpop.

?Divulgação.

?Fonte: Diário do Nordeste (https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/).

Duo Ciel Blue retrata a “fome” no conjunto da obra do seu novo single

⭐ Conterrâneo do Racionais MC’s, o duo paulistano Ciel Blue (@cielblueofficial), como letrista, se assemelha ao espírito das críticas sociais do grupo de Mano Brown, mas muito distante quanto ao viés musical.

Isso, em palavras mais nítidas, se refere aos irmãos Tharcisio e Thiago como bons pregadores da justiça social e seguidores muito bem intencionados da boa melancolia.

Iniciados como duo oficialmente no mundo fonográfico em 2015 com o single “Sad Way”, os dois filhos de Capão Redondo mencionam um desastre mundial no primeiro lançamento de 2022.

O nome “Fome”, inclusive, já denuncia sua letra, e a capa (assinada por Alain de Paula), ainda intensifica esse recado prévio.

A poesia desta canção merece mais ser ouvida do que explicada, porém, dizer que as inspirações no folk, MPB e inde pop a ambienta serve como dica importante para o botão play ser apertado.

?Escute!

?Capa do lançamento (Crédito: Alain de Paula @pegasuswings).

?Fonte: G1 (g1.globo.com/pop-arte/musica/blog/mauro-ferreira).

administrator
Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.