26 de fevereiro de 2024
Listas de lançamentos

Playlist “Além da BR” #43 – Sons do mundo que chegam até nós

além da br

Somos uma revista de arte nacional, sim! No entanto, em respeito à inúmeras e valiosas sugestões que recebemos de artistas de diversas partes do mundo, criamos uma playlist chamada “Além da BR”.

Como uma forma de estende-la, nasceu essa publicação no site, que agora chega a sua 43ª edição. Neste espaço, iremos abordar alguns dos lançamentos mais interessantes da playlist.

The Striders – “Woman” – (Suécia) – [MINI ENTREVISTA]

A banda sueca The Striders faz um som que mescla o blues, soul e rock, o que forma sua sonoridade única. Os caras acumulam diversos lançamentos desde 2017 quando realizaram sua estreia. A discografia conta com dois álbuns, um EP e quatro singles. O mais recente destes singles se trata de “Woman“. A música, definida como um rock clássico, é sobre um amante que é explora em um relacionamento. “Woman” é a primeira canção que o grupo revela do seu novo álbum. Confira!

Luck of the Draw – “Dirty Alcohol” – (Estados Unidos)

Em atividade discográfica há quase três décadas, a banda estadunidense Luck of the Draw segue sua trajetória com o single “Dirty Alcohol”, lançado neste mês de abril de 2023. A canção, que é um rock pesado, ousado e criativo, narra uma pessoa zangada com o domínio escravocrata que o álcool exerce sobre seu corpo, alma e mente. Confira!

Virtue Scripts – “Heading For The Light” – (Reino Unido) – [MINI ENTREVISTA]

– Fale conosco sobre a letra da música, que história você está dando ao público com essa letra? Eu estava lidando com a morte de minha falecida mãe e as palavras e sons expressam como eu estava me sentindo na época.

– Como e por que você compôs essa faixa? É diferente de qualquer um dos outros gêneros que produzi. Esta faixa tem uma fusão de Rock, Country e Pop. Adicionado com vocais roucos.

– Fale conosco sobre o videoclipe de ‘Heading for The Light’O vídeo é muito escuro e assustador. Eu queria torná-lo o mais horrivelmente sombrio possível, mas não tanto que os espectadores não quisessem assistir, então adicionei um pouco de humor. Eu queria capturar uma história que os espectadores pudessem não apenas apreciar, mas também se relacionar com ela. Desde o lançamento, gostei de ouvir as diferentes opiniões e comentários dos ouvintes. Para uma explicação completa e detalhada, o lançamento do videoclipe “Heading for the Light” estreou no YouTube, se você assistir e ler a descrição do like no canal, tudo fará mais sentido.

– Existe alguma história relevante ou curiosidade sobre este lançamento em particular? A música é uma das formas de arte mais onipresentes no mundo, e há muita escuridão no mundo. Eu queria me conectar com os ouvintes e telespectadores da melhor maneira possível. Além de me expressar e mostrar e compartilhar minha criatividade.

Respostas Virtue Scripts

The Infamists – “Death By Misadventure” – (Estados Unidos) – [MINI ENTREVISTA]

– O que diz a letra?

Letra de “Death by Misadventure

Afunde comigo
até o Salton Sea
Amarre uma corda em volta de nossos pés
Solte a linha.

Eu estou tão longe
Além da parte rasa.
Então vamos nos acalmar
Com uma garrafa de gim

Eu nado com a maré
Ignoro os sinais de alerta

Olhar e se sentir bem

Perseguindo aquela altura poderosa

Afunde até o fundo comigo
Desça até o Salton Sea
Amarre a corda em nossos pés
Solte a linha.

Os bons morrem jovens?

Eu não sei se eles fazem.

Porque há uma sepultura precoce

Eu tenho que ver no meio do caminho.

Eu ando em uma linha fina e branca
Entre o céu e o inferno.
Isso me faz pensar como
não caí.

Afunde comigo
até o Salton Sea
Amarre a corda em nossos pés
Solte a linha.

– Qual é a sua mensagem com essa música? A mensagem da música é que o abuso excessivo de drogas e álcool tem consequências. Embora não haja problema em se soltar e se divertir, é importante ter cuidado porque muitas coisas terríveis podem acontecer, como ter problemas com a lei, romper relacionamentos e até morrer.

A música – especificamente o verso 2 – também trata de refletir sobre sua moralidade e suas decisões anteriores ao participar de substâncias. “Ainda sou uma boa pessoa quando embriagado ou deixo meus demônios assumirem o controle e fazer escolhas terríveis?”

– Comente sobre o som da música ou como ela foi escrita. O som da música é bem blues rock, tipo Black Keys e ZZ Top. Riley e Spencer são maiores entusiastas do blues do que eu, mas eu amo aqueles riffs rápidos que você sempre ouve nas músicas de blues (pense em “La Grange” do ZZ Top). Na gravação, acho que o que realmente a torna super blues e pantanosa é a guitarra acústica de Riley tocando slide. Você ouve predominantemente após o primeiro refrão, mas é silencioso na mixagem durante toda a música. Acho que essa foi a última música escrita para o álbum e, na época, tínhamos apenas uma música com sonoridade de blues, Hands of a Thief. Senti que precisávamos de outro para dar um nó no disco, então comecei a trabalhar em Death By Misadventure. Eu sou um péssimo guitarrista, mas posso escrever uma música com seis cordas (só não me peça para tocar). Para me ajudar a concretizar as ideias que tenho no cérebro, uso um programa MIDI antigo chamado TabIt. Basicamente, você insere tablatura de guitarra (e outros instrumentos) e ela a reproduz para você. Obviamente, não soa como uma guitarra de verdade nem nada, mas dá uma ideia. Assim que terminei, mostrei para os caras, e eles foram muito receptivos. Depois que eles colocaram seus dois centavos, nós aprendemos e gravamos a maldita coisa!

– Há alguma curiosidade/história interessante sobre o lançamento? Lembro-me de Riley vindo até mim e dizendo: “Seria interessante ter uma música chamada Death By Misadventure porque é o que está escrito no atestado de óbito de Bon Scott (cantor original do AC/DC) depois que ele engasgou com o vômito depois de uma farra. “ Eu pensei que era um assunto incrível para explorar porque, na época, eu poderia me identificar com ele. Quando escrevi a música, o mundo estava no auge da pandemia – quarentena, máscaras, sem vacina etc. Como muitas pessoas, eu estava batendo forte na garrafa apenas para lidar com nosso novo normal, então a música é meia auto gráfico. Eu não queria mencionar COVID na letra porque sabia que não envelheceria bem, então me concentrei mais em como lidei com um evento sem precedentes – beber diariamente, lutar com meus demônios internos e ter uma crise existencial. No que diz respeito às trivialidades, menciono o Salton Sea no refrão. Se você não sabe, o Salton Sea é o maior lago da Califórnia. Costumava ser uma grande atração turística, mas devido à poluição causada pelo homem, agora é um dos lagos mais tóxicos da América. Eu nem acho que você pode entrar na água. Eu precisava de algo para rimar com “me” e mar era uma boa palavra, mas queria ser um pouco mais específico. Lembrei-me aleatoriamente que havia um filme com Val Kilmer chamado “The Salton Sea” sobre drogas, então achei perfeito. Então, li mais sobre o lago real e pensei: “Isso é ainda mais perfeito”.

Respostas do baterista Ryan Weiss

Donovan Keith – “Heartbreak Soliloquy” – (Estados Unidos)

Em atividade discográfica desde 2019, o cantor e compositor norte-americano Donovan Keith chegou agora ao seu terceiro single autoral. Dita como um folk americano com boas pitadas da música pop e outros elementos, a canção “Heartbreak Soliloquy” se trata de uma reflexão do artista pós-separação de uma relação afetiva e a vontade de seguir em frente, pronto para isso ou não. Gravada em Madri (Espanha), a música abre alas para o próximo EP do artista, que deve chegar às plataformas em breve.

administrator
Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.