23 de junho de 2024
Listas de lançamentos

Playlist “Além da BR” #49 – Sons do mundo que chegam até nós

além da br

Somos uma revista de arte nacional, sim! No entanto, em respeito à inúmeras e valiosas sugestões que recebemos de artistas de diversas partes do mundo, criamos uma playlist chamada “Além da BR”.

Como uma forma de estende-la, nasceu essa publicação no site, que agora chega a sua 49ª edição. Neste espaço, iremos abordar alguns dos lançamentos mais interessantes da playlist.

Alex & The MoondazeRunnin’ – (Estados Unidos)

Em atividade discográfica desde 2018 e sob a liderança do compositor Alex Tighe, a banda Alex & The Moondaze chegará em breve ao seu terceiro álbum de estúdio. Antes, no entanto, os caras apresentaram o single “Runnin”, uma das faixas de mais destaque do disco. “Runnin”, que mantém a tradição da banda em gravar com equipamentos analógicos, é um retro-pop com acréscimos do soul, R&B e psicodelia, parecendo-se em certa medida ao The Delphonics, como o próprio comunicado de imprensa do grupo diz. Segundo eles, esta canção é uma homenagem fiel a uma era atemporal da música, oferecendo aos ouvintes uma volta aos sons clássicos, no mesmo momento em que oferece uma experiência inovadora, novíssima. Confira!

The Rock Music “Saved By Grace” (feat. For the Fatherless, Steele Croswhite & Kim Croswhite) – (Estados Unidos) – [MINI ENTREVISTA]

– Qual é o conceito e a mensagem dessa música? O conceito e a mensagem de “Salvos pela Graça” são alguém que conheceu Jesus e se lembra de sua história de salvação. É a pessoa que saiu da religião legalista e baseada no trabalho celebrando que, embora eles costumavam tentar e trabalhar pela posição correta com Deus, eles agora sabem que foram salvos pela graça encontrada em Jesus e Seu sacrifício, somente. Eles cantam “Fui salvo pela graça, fui liberto pelo poder do Seu nome, não pelo que fiz, mas pelo que foi feito por mim. Fui salvo pela graça”.

– Como e por que foi composto? Steele Croswhite do The Rock Music e Brian Yak do For the Fatherless escreveram esta música. “Foi escrito tendo em mente aqueles que têm lutado contra o legalismo religioso. Nossa congregação, The Rock Church, está localizada em Utah, onde menos de três por cento da cultura se identifica como cristã. Embora muitos em nossa região tenham ouvido falar de Jesus, eles não entendem o dom radicalmente gratuito da salvação, graça e perdão oferecido a nós por meio de Seu sacrifício. Como a Bíblia diz em Efésios 2:8-9, ‘ Porque pela graça sois salvos, por meio da fé – e isto não vem de vós, é dom de Deus – não por obras, para que ninguém se glorie.’” Gravamos em Nashville com nosso produtor Sam Hart.

– Como você pode definir o som do single? Otimista, folk independente, adoração.

– Tem alguma história ou curiosidade interessante sobre esse lançamento? Esta foi a nossa primeira vez apresentando outro artista em uma de nossas músicas. Foi um prazer ter For the Fatherless cantando na música. Escrevemos a música com Brian, do For the Fatherless, e achamos que seria perfeito ter ele e sua esposa Christa cantando conosco na música.

Respostas The Rock Music

Loser Company – “Sick Sad Alone” – (Estados Unidos) – [MINI ENTREVISTA]

– Que música é essa? Sick Sad Alone — originalmente chamado de ‘Healthy, Happy, Together‘, a pandemia global não se prestava a esses temas específicos, então mudamos de rumo. … estou brincando

– Como defini-lo? Sick Sad Alone foi escrito no auge da pandemia global. Embora a música possa não ser especificamente sobre aquela época em si, pois aborda a perda de minha mãe, minha avó, conflitos familiares e a perda de amigos íntimos, o tempo estranho e triste certamente se presta a temas de dor, solidão, a morte, e um tanto ironicamente, trouxe a música à vida.

– O que a carta nos diz? ??? A carta geralmente me diz que o aluguel está atrasado??? Se você está se referindo à letra… os versos são relatos truncados de quando minha mãe e minha avó morreram. Suas partidas deixaram feridas enormes e abertas em mim e em minha família que nunca cicatrizaram de verdade… dor gerando mais dor… ao longo do processo de composição, havia também uma imagem vívida de um amigo meu que perdeu a vida para problemas mentais doença, por isso dedicamos a última seção a ele. “Achei que estava bem… pensei que estava bem… pensávamos que ele estava bem… mas o encontramos no chão… não se pareça mais com ele”… ... todos nós realmente pensamos que ele estava indo bem desta vez, até que ele não estava.

– Fale sobre som, referências, inovações. Sick Sad Alone foi originalmente desenvolvido em torno do violão, já que muitas canções da Loser Company se originam acusticamente, a sala de prática foi substituída pelo piano. Assim que ouvimos o vocal solo alinhado com o piano ofegante, não conseguimos pensar em melhor maneira de demonstrar a sensação de dor, solidão e isolamento que estávamos tentando transmitir. Embora haja um toque de som moderno com as batidas da guitarra durante o refrão, queríamos manter elementos clássicos, retrô e de balada, para significar a atemporalidade dos temas em jogo.

– Fale sobre o álbum do qual esta faixa faz parte. Sick Sad Alone é o primeiro single do nosso novo álbum “The Floor”. Escrito durante a maior parte de 2020 a 2022, gravado durante a primavera / verão de 2022. “The Floor” pode significar muitas coisas. O chão pode ser o primeiro lugar em que batemos quando as coisas vão mal… talvez de joelhos. O Chão também pode ser o lugar de onde nos elevamos, começando de novo. Pode significar o fundo do poço. Pode significar um novo começo limpo (entrar no térreo). O chão pode ser um lugar reconfortante para se deitar depois de um dia difícil. O Chão pode ser associado a algo sujo – pisado – não varrido – carregado de pegadas. No final das contas, para a Loser Company, é o símbolo perfeito para tudo o que passamos, bom e ruim – um símbolo para os tempos difíceis que nos levaram a começar a banda, para o recomeço que nos deu.

Respostas Loser Company

Ben Bell – “So Tell Everyone I’m Dead” – (Estados Unidos) – [MINI ENTREVISTA]

– O que diz a letra da música?

“Pisando no pedal do metal indo cento e cinco

Ninguém vai me levar vivo

Queimando outra cidade, queimando daqui

Muitas mulheres, muita cerveja

Correndo para baixo e beco, procurando uma fuga

Todos os garotos me odeiam, todas as garotas me querem

Então diga a todos que estou morto

Tinha um saco de ouro e uma garota debaixo do meu braço

Diga a eles que foi preciso um exército para me enterrar no chão

Homens desesperados fazem coisas desesperadas

Se eu fosse um pássaro teria asas

Quero voar para longe, mas estou preso no chão

Louco como um mergulhão, inferior a um cão de caça

Fumando e bebendo e amando mulheres que bebem uísque

vou sair brigando e quero te ver chorando

Então diga a todos que estou morto

Tinha um saco de ouro e uma garota debaixo do meu braço

Diga a eles que foi preciso um exército para me enterrar no chão

Ninguém te conhece quando você está para baixo e para fora

Eu estive lá, eu sei do que se trata

Nada como atingir o fundo do poço

Chegar lá é o blues e você sabe que eu os tenho

Eu estive tão baixo quanto um peixe-gato vai

Grite tudo até que todos saibam

Então diga a todos que estou morto

Tinha um saco de ouro e uma garota debaixo do meu braço

Diga a eles que foi preciso um exército para me enterrar no chão “

– Qual é a sua mensagem? É uma história verdadeira do meu tempo em Austin, Texas (haha!) Eu gosto de dizer que fui expulso da cidade. Uma história de excesso e vida dissoluta. Uísque, mulheres, música e irritar as pessoas fazendo isso. Bons tempos!

– Som do single: Gravado em um pequeno estúdio fora de Nova Orleans. Faixas de instrumentos ao vivo. Meus dois cantores/compositores favoritos da Louisiana tocavam bateria e baixo elétrico. Eu queria gravar com almas que amo. Foi produzido e mixado por meu irmão gêmeo, Burton C. Bell, da banda de metal industrial Fear Factory. Eu confiei nele e disse que ele poderia fazer algo que ele quisesse ouvir. Ele se saiu bem fazendo DIY, indie americana e saindo de sua zona de conforto do metal.

– História interessante ou curiosidades sobre o lançamento: Veja outras respostas. Eu gosto de dizer que é uma história real do meu tempo em Austin, Texas. Eu trabalhava como músico lá com minha banda e tocávamos regularmente em alguns clubes legais. Há um Ben Bell Day em Austin. Não anual, apenas um dia em 2003. Considero isso uma demonstração de que estava no radar, realmente fazendo isso em Austin, em vez de apenas sonhar em ser um músico. Austin é um ótimo lugar para aprimorar seu ofício de trabalho e eu me diverti muito lá. Muito divertido, na verdade!

Respostas Ben Bell

Dylan Donkin – “Come Back Bird” – (Estados Unidos) – [MINI ENTREVISTA]

– Comente a música de maneira geral.

 Essa música foi escrita pelo The Chevelle V em 1965. Eles são uma lendária banda de garagem dos anos 60 que do Texas, eles começaram seu grupo em 1963.

O conceito da música para mim é sobre uma pessoa deixando você porque você tentou segurá-la com muita força, mas ela precisava ser livre, então ela voou para longe e você ficou sozinho em sua árvore. A lição é não nos agarrarmos com tanta força às pessoas de quem gostamos ou as sufocaremos. De qualquer forma, eu amo essa música e queria gravá-la, então eu o fiz, obrigado novamente por sua ajuda em promovê-la, muito amor!

Respostas Dylan Donkin

administrator
Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.