26 de fevereiro de 2024
Listas de lançamentos

Playlist “Além da BR” #62 – Sons do mundo que chegam até nós

além da br

Somos uma revista de arte nacional, sim! No entanto, em respeito à inúmeras e valiosas sugestões que recebemos de artistas de diversas partes do mundo, criamos uma playlist chamada “Além da BR”.

Como uma forma de estende-la, nasceu essa publicação no site, que agora chega a sua 62ª edição. Neste espaço, iremos abordar alguns dos lançamentos mais interessantes da playlist.

Estella Dawn“California” – (Estados Unidos) – [MINI ENTREVISTA]

– Qual é o conceito e a mensagem dessa música? É sobre aceitar e seguir em frente com alguém que você ama. O adeus agridoce quando você deixa alguém que você queria segurar, mas no final das contas você sabe que não pode impedi-lo de onde ele precisa estar.
– O que você diz nos versos? O primeiro verso aborda a descoberta de que a pessoa por quem eu estava apaixonado estava se mudando para a Califórnia. O segundo verso é um lembrete de que, mesmo que as coisas não tenham funcionado do jeito que eu esperava, eu sempre os amaria e os apoiaria ao longo de sua jornada.
– Em que situação essa música surgiu? Descobri que alguém com quem esperava reacender um romance decidiu que estava se mudando para a Califórnia. Escrevi essa música no mesmo dia em que descobri, foi minha forma de processar que a conexão que tínhamos terminaria quando eles fossem embora e era hora de desejar-lhes boa sorte e seguir em frente.
– Qual é a proposta musical desse single? Espero que a música ressoe com pessoas que estão passando por uma situação semelhante e as ajude a perceber que isso acontece com muitos de nós 😉
– Tem alguma história ou curiosidade interessante sobre esse lançamento? É provavelmente a música mais legal que já escrevi para/sobre um ex, então acho que é isso haha!
Também acabei me mudando para a Califórnia meses depois, o que foi um pouco irônico.

Respostas Estella Dawn

Paul Edwards – “Million Dollars (feat. Ben Jacobs)” – (Reino Unido) – [MINI ENTREVISTA]

— O que é esta música? O que eu queria fazer com essa faixa era escrever uma canção de amor que não fosse uma balada. A ideia me ocorreu quando ouvi alguém na TV dizer “Nem por todo o dinheiro do mundo”. O amor verdadeiro é mais valioso do que dinheiro e riquezas, e assim surgiu minha música.

– Fale sobre a sonoridade do single. Sempre quis misturar country com gospel e sabia que essa era a música para misturar esses dois gêneros.

– Há alguma curiosidade sobre este lançamento? Sou do Reino Unido e sempre quis trabalhar com um produtor de Nashville por causa do estilo de música que escrevo. Eu finalmente encontrei um excelente produtor que compartilha minha visão para canções… e ele é britânico. Esta é minha quarta colaboração com James e estou ansioso para trabalharmos juntos em muitas outras músicas.

Respostas Paul Edwards

chris portka – “let’s go play today” – (Estados Unidos) – [MINI ENTREVISTA]

– Fale sobre a letra da música. A música é um sonho dentro de um sonho, muito parecido com a própria vida. Se você seguir os fios, alguns deles levarão ao final, mas outros o levarão de volta ao começo. É uma espécie de ode ao meu melhor amigo de infância quando eu tinha 3 anos.

– Qual é a sua mensagem? Ouça música. Eu amo música. Se você não gosta dessa música, encontre uma que goste – por que você gosta dessa música e não de outra? Isso é quem você é.

– Fale sobre a sonoridade da música, mencionando referências e inspirações. O som é uma amalgamação caótica de entradas de diários e leituras de jornais de sonhos. Eu amo David Berman e como ele pode ser belo e poético de maneira pungente. Mas eu escrevi isso antes mesmo de saber quem ele era, mas talvez ele estivesse falando comigo através do tempo e do espaço.

– Fale um pouco sobre você e sua carreira artística. Foi longa e sinuosa. Sou principalmente músico e tive muitos pseudônimos ao longo dos anos. Nos últimos anos, me envolvi com NFTs e arte cripto, é a comunidade de arte online mais solidária que encontrei. Estou sempre
trabalhando em algo – seja codificando arte generativa, gravando o próximo álbum, pintando ou apenas escrevendo um poema.

Respostas chris portka

Mark Rubin – “Love Ballad” – (Estados Unidos) – [MINI ENTREVISTA]

– Qual é o conceito e a mensagem dessa música? Fazer um cover de “Love Ballad” foi um projeto especial para mim. Essa música realmente bate em casa. Não se trata de amor de conto de fadas; é sobre o amor real e duro que permanece forte, não importa o que aconteça.
Quando trabalhei na minha capa, quis trazer à tona esse lado cru e poderoso do amor. Essa música fala sobre como o amor pode ser a nossa rocha, mesmo quando a vida fica difícil.
Para mim, esta é uma música sobre a incrível força do amor e como ele pode nos levantar, não importa o que enfrentemos. Eu realmente coloquei meu coração nesta capa, e espero que ela fale com você assim como a música original falou comigo.

– Como e por que foi composto? Havia algo sobre “Love Ballad” que simplesmente me pegou. É uma música que ressoou em mim de uma forma difícil de colocar em palavras. Era como se estivesse falando diretamente comigo, explorando sentimentos e experiências profundas e pessoais. A alegria e a profundidade da emoção que isso despertou em mim eram tão poderosas, e eu queria compartilhar isso. Então, decidi cobri-lo. Eu queria recriar essa conexão profunda que senti e trazê-la para você. Não se trata apenas de tocar as notas; trata-se de traduzir essa linguagem poderosa e silenciosa do coração em música. Eu realmente espero que a minha versão de “Love Ballad” te emocione da mesma forma que sempre me emocionou.

– Como você pode definir o som do single? Love Ballad” é ​​um clássico que conquistou inúmeros corações ao longo dos anos, e nosso objetivo era honrar esse som clássico e trazê-lo para os dias atuais. Trabalhando ao lado do meu produtor, decidimos manter a essência da música e ainda dar uma nova vida a ela. Para atingir esse equilíbrio delicado, adicionamos um toque moderno com a ajuda do TicToc e adicionamos a caixa de diálogo. O resultado é um som que combina o antigo e o novo lindamente. Tem a nostalgia da melodia clássica, complementada pelo toque contemporâneo da talk box, resultando num som que faz a ponte entre gerações. É “Love Ballad” como você conhece e ama, mas com um toque novo e moderno que acredito que vai agradar a todos.

Tem alguma história ou curiosidade interessante sobre esse lançamento? Quando mencionei a Jon-John Robinson, um produtor vencedor do Grammy, que queria fazer um cover de “Love Ballad”, sua primeira reação foi: “Você está falando sério?!” Rindo, olhei-o diretamente nos olhos e disse: “SIM”. Esse foi o momento em que nossa jornada começou.
No fundo, sempre fui um romântico incorrigível e recentemente encontrei o amor da minha vida. Ouvindo “Love Ballad” novamente depois de todos esses anos, senti que ressoava em mim de uma maneira totalmente nova. Era como se a música tivesse entrado na minha história de amor, reacendendo minha paixão pela música.
Então, essa música não é apenas um cover para mim. É uma melodia que encapsula minha história de amor pessoal. Está cheio de toda a paixão e romance que me inspiraram a fazer música novamente. Mal posso esperar para que todos vocês ouçam. Divirta-se com “Balada do Amor.

Respostas Mark Rubin

Chase Risinger – “Bon Voyage Veronica” – (Estados Unidos) – [MINI ENTREVISTA]

– Qual é o conceito e a mensagem dessa música? Escrevi esta música para minha amiga Veronica. Costumávamos trabalhar juntos em um restaurante italiano chamado Trento, nos arredores de Austin, e quando meu carro foi destruído na enchente de Onion Creek, ela generosamente me deu carona de e para todos os nossos turnos e nos tornamos bons amigos. E então ela se mudou para a Europa. A história se desenrola na música!

– O que você diz nos versos? No primeiro verso, apresento Veronica e meu relacionamento com ela, e no segundo verso analiso seus futuros empreendimento do outro lado do lago.

– Qual é a proposta musical desse single? É definitivamente uma música do passado, ninguém mais escreve valsas. Não sei por que, mas foi assim que saiu.

– Qual é a relação dessa música com a música e a cultura americana? Como sabemos, a América é um caldeirão de influências com imigrantes trazendo sua cultura de todo o mundo, misturando-se para formar uma mistura única de absolutamente tudo! Nesta música ouve-se o violino que aqui chegou com imigrantes da Irlanda, Inglaterra e Itália. Eu toquei a guitarra com um aceno para aquele estilo mexicano / espanhol. E a melódica durante o refrão deve fazer você pensar no acordeon parisiense, já que o título da música é francês. Isso tudo é uma piscadela para o fato de que minha amiga Veronica está se mudando para a Europa.

– Tem alguma história ou curiosidade interessante sobre esse lançamento? Eu tinha escrito quase tudo que podia e estava quebrando a cabeça por horas, mas estava preso em uma linha, simplesmente não conseguia terminar o refrão. Toquei para o meu baterista Mike Hidalgo e perguntei a ele qual deveria ser a linha, e sem hesitar ele disse, “e eu vou ficar aqui.” Presto! A música acabou!

Respostas Chase Risinger

administrator
Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.