23 de junho de 2024
Listas de lançamentos

Playlist “Além da BR” #8 – Sons do mundo que chegam até nós

além da br

Somos uma revista de arte nacional, sim! No entanto, em respeito à inúmeras e valiosas sugestões que recebemos de artistas de diversas partes do mundo, criamos uma playlist chamada “Além da BR”.

Como uma forma de estende-la, nasceu essa publicação no site, que agora chega a sua 6ª edição. Neste espaço, iremos abordar alguns dos lançamentos mais interessantes da playlist.

Coline BIF – “Luna” – (Belgica)

A belga Coline BIF iniciou sua trajetória fonográfica em 2019, com o single “Tell Me”. Depois lançou três singles, e agora se prepara para, em setembro, entregar primeiro EP, intitulado “Blue Nostalgia”. Antes, no entanto, ela lançou o clipe da faixa “Luna”. Ambientada no indie pop, a canção ganha ares de discoteca no vídeo, onde um casal queer se diverte. A direção do audiovisual é de Chloe Stinus.

Turquoise – “Le bruit” – (Bélgica)

“O Barulho” (tradução do título) é um pós-punk que “destaca os altos ruídos internos que nem sempre queremos ouvir”. Confira a letra:

Pela primeira vez

Eu finalmente ouvi o barulho 

Escondido, sufocado

Tudo está quebrado de repente

Ele treme e ronca

O barulho crescente 

O silêncio nunca mais pode 

mate-nos 

Quanto mais matamos

O desespero nunca mais pode 

mate-nos

Quanto mais matamos 

O barulho será para sempre

Nosso aliado 

Nosso aliado 

Pela primeira vez

Eu finalmente ouvi o barulho 

Escondido, sufocado

Tudo está quebrado de repente

O silêncio nunca mais pode 

mate-nos 

Quanto mais matamos

O desespero nunca mais pode 

mate-nos

Quanto mais matamos 

O barulho será para sempre

Nosso aliado 

Nosso aliado 

O silêncio nunca mais pode 

mate-nos 

Quanto mais matamos

Evan J. Smith“Deep Blue” – (Estados Unidos)

Os dois violões que protagonizam “Deep Blue”, novo single de Evan J. Smith, são capazes de nos colocar diante de uma viagem, com alma-corpo empolgados com o caminho. Segundo Evan, a ideia da composição é que o ouvinte “relaxe e se imagine explorando as profundezas de nossos oceanos, descobrindo um mundo inteiro no azul profundo e escuro”, como diz suas próprias palavras.

Confira “Deeb Blue” e, assim, poderá conhecer um pedaço da discografia de Evan, que a iniciou em 2021 com o single duplo “The Tide”. Boa aventura, marinheiros!

pscila – “Firestone” – (Estados Unidos)

Intercalando entre o espanhol e o inglês, a cantora estadunidense pscila faz do seu novo single, “Firestone”, um cenário envolvente com uma letra empoderada. Os versos são sobre a história de uma mulher esgotada em aceitar as mentiras de seu parceiro romântico. “Firestone” é o 11º single da artista, que iniciou sua trajetória fonográfica em 2019 com a canção “Hazy”.

Tyler Nichols“West Virginia Turnpike” – (Estados Unidos)

Uma música que vai te conectar, caso você tenha aquela percepção de que está com a pessoa errada. Essa é a temática da nova música do americano Tyler Nichols, a preciosa “West Virginia Turnpike”. A música foi gravada com Neil Jones, da American Aquarium, e produzida por Joey Liecthy (Steves Curtis Chapman, Ross Ellis, Max Boyle). Juntos, eles construíram uma obra de intensidade de longe alcance.

A canção é um fragmento importante do EP de estreia do artista, trabalho que terá outras quatro canções inéditas.

Spice Jar“Trap House” – (Estados Unidos)

Após apresentar sua face com sete singles e um EP, a partir de 2020, a banda estadunidense Spice Jar lança sua nova canção, a primeira de 2022. Intitulada “Trap House”, a música é sobre a luta contra a dependência de drogas, escapar delas e, por fim, sair vitorioso, mais forte e potente.

The Carrie Armitage Quartet“ORBIT L2” – (Canadá)

Neste 2022, a banda instrumental The Carrie Armitage Quartet lançou seu álbum de estreia, o interessantíssimo “A Side”. Iremos aqui apresentar a faixa número 7, intitulada “ORBIT L2”, considerando-a como um bom caminho para você investir nas outras canções do trabalho.

“ORBIT L2” se trata de uma homenagem à toda equipe responsável pelo lançamento do Telescópio Espacial James Webb (saiba mais), e o que isso representou e representa para a evolução da humanidade.

Confira a psicodélica deste som e viaje junto com este incrível quarteto!

Rising at Fall“State of Mind” – (Canadá)

A recente carreira do duo canadense Resing at Fall recebe a partir de agora um novo single, intitulado “State of Mind”, um mix de pop rock e rock alternativo, sob a supervisão do produtor musical Spatial Soul. De uma forma central, podemos dizer que a canção é sobre liberdade. Veja o que eles dizem sobre:

“Como é dito na música, a liberdade é um estado de espírito. Essa música lembra a todos que você não está sozinho nessa luta e nunca desista em nenhum caso. Você tem uma voz, então use-a bem alto!”

Confira!

Cavono“Rewind” – (Estados Unidos)

Cavono é um músico estadunidense que iniciou sua carreira fonográfica em 2021 com o disco “Desires”. Depois, lançou cinco singles. O mais recente é “Rewind”. Veja o que o artista tem a dizer sobre: “Rewind é uma música sobre violência doméstica, uma pessoa sabendo que é um problema onde ela está, mas é difícil se afastar. A música inteira é sobre o cabo de guerra que jogamos com nós mesmos até que finalmente acabou.”

Consideramos “Rewind” um bom caminho para você apreciar a recente obra de Cavono. Confira!

Garrett Gregory“Leavin’ You” – (Canadá)

Os sonhadores-visionários enfretam constantemente a incompreensão. É o que acontece com o cantor e compositor canadense Garrett Gregory. É o que ele conta em seu novo single, “Leavin’ You”, o primeiro de 2022.

A inspiração parte do enfretamento do artista em relação às pessoas que não entendem o seu amor pela música e sua perseguição pelo sonho, e também do fato de ter que optar em deixar para trás os descrentes na sua carreira. Por fim, ele diz que “é um sonho muito difícil”.

Essa é a continuidade de Gregory, um músico que segue o country, e inspirado em nomes como Dallas Smith, Chris Daughtry e Patrick Droney. Essa verve musical está em seus trabalhos anteriores, e agora em carreira solo que será selada assim que ele lançar seu disco de estreia, previsto para este ano.

Ned Moss“Capsized” – (Reino Unido)

“Capsized” é uma música de realidade, escrita com um bom coração, entregue a dor do próximo. No caso, este outro é o amigo de Ned Moss. Na letra, o artista britânico explora sua dor ao ver esse amigo em decadência, devido a sua saúde mental frágil. “O companheiro sendo alguém que é gentil e amoroso, mas ao ponto de dar tanto de si aos outros, eles acabam sem nada, fazendo com que se sintam sobrecarregados e tombem.”, conta Ned.

A canção faz parte do próximo EP homônimo do cantor-compositor. “Capsized” nos dá um mapa de suas intenções artísticas, portanto, se seguir esse raciocínio, o EP deve ser muito bom.

Stun- “Indigenous” – (Canadá)

Indignado com a situação indígena no mundo, em especial, os contínuos desaparecimentos, desrespeito, apagamento cultural e assassinatos, o rapper indígena canadense Stun escreveu a canção “Indigenous”. Com o lançamento, que chegou acompanhado de clipe ilustrativo, o artista tem o intuito de protestar, mas também de expressar a cultura do seu povo.

Peça importante do seu próximo álbum, o single pode ser classificado como “um grito de orgulho indígena”.

Bill Filipiak“Love on Each Other” – (Estados Unidos)

Em seu terceiro single, o norte americano Bili Filipiak narra alguém excluído pela sociedade, o que acontece por meio de alguma discriminação e/ou preconceito. Segundo ele, a letra “destina-se a fornecer um apoio positivo para que a humanidade seja mais inclusiva e aceita as pessoas, independentemente de quem elas são ou como se identificam.”

“Love on Each Other” se torna agora parte de uma discografia iniciada em 2016 com o disco “Put The Top Down”. Depois, entre 2020 e 2021, o cara lançou outros dois álbuns. Temos em mente que “Love on Each Other” seja um caminho interessante para conhecer a sonoridade e poesia de Bili. Confira!

Sweet Megg – “My Window Faces the South” – (Estados Unidos)

Em 1937, a lenda do jazz Fats Waller lançava “My Window Faces the South”, música escrita por Abner Silver, Jerry Livingston e Mitchell Parish no mesmo ano. Décadas depois, a cantora americana Sweet Megg fez a sua própria versão deste clássico. Um registro para relembrar as raízes e para glorificar a atual arte.

Rémi Cormier“The Hike” – (Canadá)

O canadense Rémi Cormier é grande quando se fala em jazz. Ele é mestre em interpretação e composição jazzística pela Universidade de Montreal, tendo se formado em 2021. Suas habilidades de destaque são como trompetista e compositor, algo que vem o posicionando muito bem no cenário musical.

Neste 2022, o artista lançou o single “The Hike”, que sucede o álbum “Paradox Plaza”, lançado em 2018. Uma discografia recente, mas que merece nossa atenção. Confira!

Friend of a Friend“I’m Blue” – (Estados Unidos)

Nós perguntamos a eles: “O que a letra diz a letra desta música?”. Veja a resposta: “Temos que confessar, a música é sobre muitas coisas e assume significados diferentes para nós ao longo do tempo. Pelo que podemos entender, trata-se de escolher uma situação apesar da dor que ela carrega, e de outras maneiras é saber que a situação escolheu você. Trata-se de ouvir a força dentro de você para seguir seu coração, não importa a dor, a exaustão ou a luta.”

A canção é a faixa de encerramento do álbum “In Arms”, lançado neste ano. Ele é a sequência de cinco canções em formato singles, que vem sendo lançado desde 2021. Uma discografia recente, mas valiosa!

The Madame Vega“Dopamine” – (Estados Unidos)

A banda estadunidense The Madame Vega tem em sua sonoridade um mix que engloba funk, R&B, reggae, rock, punk e pop, que suas referências e juntas formam uma identidade ímpar. Dessa forma, gravaram em Atlanta seis canções inéditas e autorais, que cravam a estreia nas plataformas.

Até o momento lançaram três canções. Nós indicamos “Dopamine”, a mais recente e que foi lançada também em clipe. Espero, sinceramente, que você leitor goste desta sugestão, porque nós já aprovamos!

Zacman e Michael Del Brown“My name is Job” – (Dinamarca)

Uma música gospel na contra mão dos clichês comuns ao gênero. É essa a sensação que fica de “Mey Name is Job”. A letra, embalada por uma energia gostosa e aconchegante, é sobre o profeta Jó, personagem do antigo testamento da Bíblia. Clique aqui para saber mais sobre Jó. E confira essa graciosa canção!

Johnny Cisneros“Tú” – (Estados Unidos)

O estadunidense Johnny Cisneros canta o “amor à primeira vista” em seu novo single, escrito em parceria com seu pai. Intitulada “Tú”, a canção em “espanglês” une pop alternativo, R&B indie e indie latino, com um toque especial de bossa. Uma música quente e boa para se ouvir!

ANNA VEE“Yellow Cadillac” – (Suécia)

Anna Vee é uma cantora sueca que foi destacada como compositora pela Billboard. Ela trabalhou em vários projetos, participou de um reality show alemão, e sua carreira como artista iniciou-se em 2016, desde então, alcançou números consideráveis de views.

Anna lançará em breve seu novo EP. Antes, ela entregou três lançamentos, sendo que “Yellow Cadillac” o mais recente. Nesta música em específico, a cantora faz do RnB/Pop o caminho para falar sobre seus sonhos. Com letra divertida e criativa, e produção demasiadamente pop, a música é sobre “querer um Cadillac amarelo, um leão como gato e uma mansão em Beverely Hills”, como ela mesmo diz.

A partir disso, o que esperar de Anna Vee? Siga-a e descubra!

juracán“My Mind” – (República Dominicana)

De maneira intuitiva e despretensiosa, nasceu os primeiros versos de “My Mind”, pelo coração ardente de juracán. Nesta fase, a música tinha as sombras como único “personagem”. No entanto, num encontro frutífero com o amigo Eric Leavell, a canção tomou a forma atual.

A composição final tem como objetivo levar os que sofrem na escuridão para a esperança. Assim, juracán conta que “My Mind” tem dois lados: as sombras, e o caminho da luz, numa confissão pessoal.

An Echoic“Varje sekund” – (Suécia)

O cantor e compositor sueco An Echoic tem em seu novo single, “Varje Sekund”, uma conversa íntima, mas que serve ao mundo. A letra que intercala entre o inglês e o sueco é sobre a famosa intriga da essência humana e sua relação com o tempo. São duas coisas que a humanidade ainda não desvendou, mas “Varje Sekund” tem uma missão de iluminar e questionar as questões envolvidas no conceito de tempo.

A música reflete um momento de introspecção do artista a respeito de sua própria vida. “Já tive muitas experiências estranhas onde tentei lutar contra o tempo, meio que querendo que o tempo parasse e me deixasse em paz”, conta ele, que ainda diz que o som lembra “15 Step”, da banda Radiohead.

A faixa tem produção musical de Andrew Feels, e é a sequência de outros dois EPs e quatro singles de An Echoic, que vem trabalhando profissionalmente no mercado fonográfico desde 2016.

Billy Bobak – “Down In the Day” – (Reino Unido)

“Down In The Day” é uma música escrita pensando na vida da amiga do músico Billy Bobak. Ela sofreu com a depressão ao longo de muitos anos. Recuperada após muita luta, ela ainda sente as memórias e feridas da fase depressiva. Assim, iniciou-se novamente um trabalho de emergir uma nova versão de si mesma, mais sadia.

Esse relato de coragem e persistência que traz a música é acompanhada por uma sonoridade melancólica, linda e que fisga nossas almas.

Green & Granstrom“Stranger With My Face” – (Suécia)

Dois irmãos se encontram depois do pai falecer. Eles cresceram com mães diferentes, sendo que um sabia da existênica do meio irmão, algo que o outro não tinha consciência, este, porém, teve a oportunidade de viver com o pai. É essa a história de “Stranger With My Face”, uma canção semiautobiográfica.

Vale dizer que esta canção, escrita pelo integrante Omri Lahav, foi incluída em duas trilhas sonoras: no documentário “Quiet Explosions” (indicado para Melhor Trilha Sonora Original no Oscar 2022) e do curta-metragem “Over My Dead Body” (Emmy de 2022).

O perfil Green & Granstrom nos revela que é este o single de estreia do projeto. Ou seja, uma estreia em cheio!

DROATEST, Sanguessuga e Lah’Vee – “Jack Mabaso” – (África do Sul)

O sucesso do afrobeat trouxe um novo estouro. Estamos falando da música amapiana, o novo gênero emergente de destaque no continente africano. Neste link, você poderá conhecer mais sobre, na reportagem do site Music Non Stop. Porém, deixamos aqui uma sugestão para você sentir o gênero na prática. Indicamos o som “Jack Mabaso”, que une três feras da África do Sul. Boa aventura!

Jo Jordan“Go Back” – (Reino Unido)

A música “Go Back” é sobre a genuína e intensa vontade de retornar ao passado para corrigir aquilo que quebrou um relacionamento. Acústica, a canção é poderosa em termos poéticos, de canto e arranjos. Tudo se junta para formar uma obra de emoção amiúde e de fácil digestão por todas as tribos.

“Go Back” agora faz parte da discografia de Jo, iniciada em 2019 com o single “Put You to Sleep”. Seu perfil nas plataformas contabiliza um EP e sete singles. Um material, no mínimo, interessante!

voş“SAUDADES” – (Porto Rico)

Com toque sutil do eletrônico, o porto-riquenho Voz canta a saudade em seu novo single. Segundo ele, a música trata da nostalgia dos bons momentos já findados que um casal viveu junto. Esta bela canção é a segunda da carreira fonográfica do artista. Confira!

Cat and the Underdogs“Fast Tracker” – (Suécia)

Nomes por trás de bandas como Nomads, Hellacopters, City Saints e The Dogs, Chips Kiesbye é quem produziu o novo single da banda Cat and the Underdogs. O resultado é um som pesado e bem estruturado com uma letra ainda mais tensa. O grupo sueco se dispõe a falar sobre vício em sexo e a pornografia, atualmente de fácil acesso na internet.

A canção é um fragmento do próximo álbum, intitulado “Punk Rock Overdrive”, previsto para ser entregue ainda neste mês de julho, no dia 22, nas plataformas digitais e também em formato de vinil.

Jenny Kern“I Should Lose You” – (Estados Unidos)

Jenny Kern é uma cantora-compositora canadense que se deu bem logo em seu single de estreia, em 2019. Desde então, seu som indie pop e estética jovem chegou a milhares de ouvintes, por meio de outros lançamentos, como o EP “I Never Thought That You Were Listening”, de 2021.

Em 2022, a artista já lançou três singles. O mais recente, entregue em julho, é “I Should Lose You”. Também demasiadamente pop, e com capa “diva”, a canção é diferente em termos de letra. Os versos são sobre o momento em que percebemos que já não existe a paixão que fez o relacionamento nascer, mas, neste caso, quem perde o interesse é o próprio eu lírico.

Veja o que Jenny diz sobre: “”Esta música é sobre se apaixonar por alguém e perceber que você precisa deixá-lo ir. O relacionamento estava falhando e se tornou tão unilateral. É fácil perceber que você não tem mais sentimentos por alguém, mas é a dificuldade intrínseca de machucá-los é o que torna isso tão difícil. Você pode estar em um relacionamento, sentir uma mudança e saber que algo não está mais certo, mas no segundo em que você diz isso em voz alta, está aberto. Você não pode voltar atrás. A verdade é, a melhor solução é arrancar o band-aid e seguir em frente. Foi o que eu tive que fazer.”

“I Should Love You” é o segundo single do próximo EP da cantora, mas já deu para sentir um tanto do que este trabalho poderá proporcionar.

RICKHO“DJINDJA” – (Espanha)

O músico espanhol RICKHO é uma alegria imensa em seu novo single. A letra de “Djindja” é sobre o amor que se sente por outra pessoa, mas sem lágrimas nos olhos, apenas boas energias e alegria demasiada. É este o espírito desta música.

Matilduo“Fuerza Mentálica” – (México)

O reggaeton da banda Matilduo, formado por músicas do México e Espanha, é diferenciado. Segundo os integrantes, o grupo é inspirado em nomes como Maná, Gipsy Kings, Carlos Santana, Paco de Lucia, e até mesmo Linkin Park e Metalica. Alinhada à essas referências, a banda carrega ritmos afro-latinos com flamenco, e usam instrumentos alternativos, como o violão e percussão espanhol.

Em seu mais recente lançamento, a Matilduo resgata suas influências do rock e da música latina. “Fuerza Mentálica” é um bom caminho para se aventurar no som desta banda de outro mundo.

NIzhNA“On Our Homeland (Ukraine)” – (Ucrânia)

Participante do The Voice Ucrânia 2016, a cantora ucraniana NIzhNA faz do seu novo single um caminho de protesto, de solicitação de paz. “On Our Homeland” foi gravado em diferentes partes da Ucrânia, e traz consigo o espírito de vitória do povo ucraniano e sua permanência em suas terras.

Definida como uma balada pop rock, a música é também sobre as mães ucranianas. É uma obra sobre a guerra, o que acontece atualmente, mas também sobre as emoções destas mães.

Confira!

Darien Martus“Evolution of the Mind” – (Estados Unidos)

Desde o tempo de Matusalém, a Terra não é uma morada segura. Estamos no século XXI, avançamos muito em termos de conhecimento, mas ainda convivemos com as guerras entre nações (ou melhor, líderes delas) e com as guerras civis, além de mortes por todos os lados, como o caso do Brasil, um exemplo à não ser seguido.

As palavras ditas até aqui introduzem você leitor à nova canção do estadunidense Darien Martus. Intitulada “Evolution of the Mind”, a música traz a ideia (não muito comum) de que continuar como humanidade exige uma evolução mental e espiritual. Segundo o artista, esse é o caminho para irmos além da guerra e da dor e, então, vivermos juntos em nosso fantástico Planeta Terra.

Esse lançamento faz parte agora da volumosa discografia de Darien. Apesar de pouco tempo nas plataformas (desde 2020), ele já lançou dez álbuns e alguns singles. Os poderes de “Evolution of the Mind” podem ser um caminho plausível para você se aventurar no que Darien tem para o mundo. Vamos nessa?

Michael Dunstan“Becoming Nobody” – (Austrália)

Nos pregam na cruz e dizem para sermos alguém. No entanto, a nova música do australiano Michael Dunstan contesta essa condenação. A letra de “Tornando-se Ninguém” (tradução do título) tem como intuito sugerir a ideia de que é uma delícia estar confortável sem se tornar ninguém, ou seja, não viver a constante ilusão de que precisamos “nos tornar alguém”.

Uma música folk de goles poéticos e filosóficos que faz parte do álbum “Impermanence”, lançado neste ano. O lançamento marca a continuidade de uma discografia vasta. Michael iniciou sua discografia em 2017 com o EP “Solace”. A partir de então, além do álbum mencionado, lançou muitos singles, entre eles três EPs.

KENNY DAVERN AND HIS WINDY CITY STOMPERS – “Nobody’s Sweetheart” – (Estados Unidos)

É o seguinte, companheiros: essa música foi escrita em 1924 por quatro almas, Billy Meyers, Elmer Schoebel, Ernie Erdman e Gus Kahn. Em 1992, a banda Kenny Davern And His Windy City Stompers em parceria com o pianista Dick Hyman a regravou, mas o registro ficou engavetado. A versão chegou acompanhada de outras gravações do mesmo ano. Juntas, elas formam o disco “One Step to Chicago”, com produção assinada pelo lendário produtor de jazz George Avakian.

Esse trabalho precisa ecoar pelo mundo. Confira!

Tyrone Hashimoto – “Gotta Keep on Loving You – Live” – (Japão)

Quando o japonês Tyrone Hashimoto começou a fazer música R&B/Soul em sua terra natal era um dos poucos. Ele buscou inspirações em nomes como Teddy Pendergrass, Luther Vandross e Donny Hathaway, e muitos outros. Em determinado momento, mudou-se para os Estados Unidos, em Seattle.

Entre o Japão e a américa, o cara desenvolveu suas habilidades e lançou canções. Uma delas se chama “Gonna Keep on Loving You”, que agora ganha uma nova versão, gravada ao vivo e com apoio de sua banda. Bom dizer: esta beleza de Tyrone nos faz lembrar do R&B dos anos 70 e 80, mas com a digital do artista.

Aqui uma indicação de ouro. Boa escuta!

administrator
Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.