30 de maio de 2024
Além da BR Listas de lançamentos

Playlist “Além da BR” #98 – Sons do mundo que chegam até nós

além da br

Somos uma revista de arte nacional, sim! No entanto, em respeito à inúmeras e valiosas sugestões que recebemos de artistas de diversas partes do mundo, criamos uma playlist chamada “Além da BR”.

Como uma forma de estende-la, nasceu essa publicação no site, que agora chega a sua 98ª edição. Neste espaço, iremos abordar alguns dos lançamentos mais interessantes da playlist.

Jen Hawley “Handed Heaven” – (Estados Unidos) – [MINI ENTREVISTA]

– Que música é essa? Handed Heaven é a faixa de abertura do meu novo álbum, Fragile. O álbum pinta dez retratos musicais de luto sem perder de vista a esperança e a saudade.

– O que diz e qual é a sua mensagem?Handed Heaven” oferece um vislumbre de esperança que todos desejamos experimentar. Nos momentos sombrios de vazio, perda e dor, esta música nos ajuda a lembrar que não há problema em clamar ao nosso Criador para pedir um milagre. Há um versículo que diz “Que o Senhor sorria para você e lhe mostre sua bondade. Que o Senhor responda às suas orações e lhe dê paz.” Números 6:25-27 (Bíblia)
Se você sente que não há esperança ou se ainda está esperando que esse milagre aconteça – que esta música o ajude a imaginar a possibilidade de que Deus ainda possa “entregar o céu” para você e trazer nova vida do pó.

– Por que e como surgiu essa música? Fiquei inspirado a escrever “Handed Heaven” depois de ler a história de uma mulher que perdeu tragicamente seu filho. No início de sua história (no livro de 2 Reis), Deus poupou a vida de ambos durante uma fome, enchendo diariamente seus vasos de óleo e grãos para produzir alimentos. Depois que a fome acabou, um dia seu filho estava no campo e inesperadamente teve uma dor de cabeça e morreu.

Essa música vem da imaginação do que o coração e a alma dessa mãe deviam estar implorando… Que Deus trouxesse seu filho de volta à vida. Que Ele sorriria para ela e “entregaria o céu” a ela mais uma vez, como fez durante a fome.

– Comente sobre o som do single. Há alguma curiosidade que você gostaria de destacar? Este single, Handed Heaven é uma balada R&B de ritmo médio com um som de banda completo, uma seção de sopros exuberante e muito espaço para o vocal. Estou tocando trompete na pista. E meu marido e incrível multi-instrumentista, Dave Hawley, toca guitarra elétrica e órgão.

Respostas Jen Hawley

Project Revise “Take the World” – (Reino Unido) – [MINI ENTREVISTA]

– O que é esta música, em resumo?Take the World’ é uma faixa Pop Punk cativante e de alta octanagem que tem influências de nomes como Blink-182 e New Found Glory. Foi escrita em um estúdio de ensaio pelos três membros da banda.

– Qual foi sua fonte de inspiração para escrever esta música? A letra de ‘Take the World‘ serve como um lembrete pungente da imprevisibilidade da vida, mas também da emoção da aventura; queríamos inspirar os ouvintes a abraçar sua paixão e correr atrás de seus sonhos. Por sua vez, nossos ouvintes também são a inspiração para escrever a canção.

– Dentro do rock, o que vocês trouxeram de novidade? Nós nos vemos como uma versão moderna das bandas dos anos 2000 do pop punk e punk rock. Nós amamos continuar nossa obsessão criando nossos próprios vídeos de música e conteúdo de mídia social – isso pode ser tão importante para nós quanto escrever as próprias canções. Nós adoramos trabalhar duro com todos os aspectos da banda.

– Há alguma história ou curiosidade sobre este lançamento? O videoclipe apresenta a banda tocando juntos. Isso foi filmado em uma pista de skate alugada exclusivamente no início deste ano. Dave e Rich (baterista e baixista) andam de skate desde que eles eram crianças, e todos nós amamos jogar Tony Hawk’s Pro Skater por muitos anos… então fazia todo o sentido fazer este videoclipe!

Respostas de Chris Tamburro, vocalista e guitarrista da banda

Powers of the Monk“Firefly” – (Estados Unidos) – [MINI ENTREVISTA]

– O que é que se diz nesta canção? A canção é sobre um indivíduo com perturbações mentais, que vê mensagens em padrões de pirilampos.

– Qual é a vossa mensagem? É que as pessoas com anomalias mentais e doenças, podem fazer coisas muito estranhas e perigosas. E que precisamos de descobrir como curar as doenças mentais.

– O que podemos dizer sobre o som e a musicalidade da canção? Vozes suaves e expressivas que se alimentam mutuamente para construir a mesma narrativa emocional brilham para se tornarem o gancho ideal que se liga às emoções dos ouvintes e capta a sua atenção do princípio ao fim.

– Há alguma coisa nesta canção que queiras destacar? A canção tem um toque antigo, dos anos 60 ou 70.

Respostas Powers of the Monk

Unnamed – “Mil Demonios” – (México) – [MINI ENTREVISTA]

– Que música é essa? Resposta de Librado Perez:  É a nossa essência, significa tudo para nós, é a nossa primeira música de autoria e o nosso lançamento para a nossa comunidade, então significa muito para nós, temos certeza que conseguiremos crescer no setor e nos destacar principalmente no nível LATAM.

– Qual é a sua mensagem para o mundo? Resposta de isaias loza:  É uma música para nos conectarmos com mais bandas que passaram pela mesma coisa e reagimos da mesma forma de não expor e que é melhor conversar com música

– O que originou a música, como foi o processo? Resposta de Isaias loza: Meu silêncio, porque em uma fase da minha vida eu tive depressão justamente porque não gostava de falar sobre o que estava acontecendo comigo, e eu estava carregando tudo isso, escrever essa música foi poder contar e expressar o que Fui vivenciando e dando para conhecer a comunidade sobre a importância de conversar sobre as coisas na hora certa, apresentar a música com a banda foi um desafio pessoal mas foi conectar, então começamos a trabalhar nisso, unindo os diferentes gostos e influências de cada um, dando-lhe conotações pop até alcançar o que é agora.

– Musicalmente falando, o que você entende da música? Resposta de Librado Perez: É uma música folk-pop, onde buscamos combinar os estilos e ideias de todos os integrantes, projetando nosso estilo inspirado em alguns de nosso país.

Respostas de Librado Perez e Isaias loza.

Ratyński“See in Green” – (Polônia) – [MINI ENTREVISTA]

– Em resumo, o que é esta música? “See in Green”, tal como o segundo lado deste single duplo, pretendia ser uma peça de fantasia, parte de uma antiga cultura musical inventada, como as obras literárias inventadas relembradas nas histórias de Jorge Luis Borges. Mas é claro que a fantasia fala sobre o nosso mundo. Então essa música é uma música referente a um mundo antigo que provavelmente não existe mais, mas também não sabemos se existiu.

– Há alguma mensagem por trás do violão? O que originou esta música e como foi este momento? Peter Gabriel cantou “quando tento dormir à noite só consigo sonhar de vermelho”. Hoje é igual, a sensibilidade que anseia pela beleza e pela paz entre o verde das florestas e prados limpos vê esse vermelho por toda parte. As guerras, a crise climática, o sofrimento e os danos que causamos a nós próprios. A música é uma tentativa de mergulhar naquele outro mundo em que todos gostaríamos de viver.

– Qual a ligação desta música com a cultura musical polonesa? Nasci na Polónia e vivo aqui. Apesar da referência ao romantismo tardio. See In Green baseia-se principalmente em músicas anteriores, então você pode encontrar aqui o espírito da música celta com uma ligeira influência da música dos montanheses poloneses. Mas além da tradição, você também encontrará uma referência a uma música pop do século XX, cujo riff é citado no final. Quero dizer “Everybody Wants to Rule the World” do Tears for Fears, cuja mensagem eu também tinha em mente ao escrever esta música.

Respostas Ratyński

administrator
Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.