18 de julho de 2024
Google News Lupa na Canção Manchete

Pop tropicalista; Quebra-quebra brincalhão; Sou music com samba; Canção de resiliência e amor; Pop rock para além do supérfluo [lupa na canção #30]

Muitas sugestões musicais chegam até nós, mas nem todas estarão aqui. Bem vindos ao Lupa na Canção!

Esta é uma lista de novidades lançadas recentemente, de diferentes temáticas e gêneros musicais. Dificilmente você verá no Lupa canções do mainstream. A ideia é apresentar com uma “lupa” coisas novas e alternativas aos grandes sucessos, afinal é este uma das missões da Revista.

É importante ressaltar que as posições são aleatórias, não indicando que uma seja melhor que a outra.

“Pop tropicalista” de Leopold Nunan louva a fertilidade das terras brasileiras

O que é a faixa “Pe de Maracuja”?

“A flor de maracujá” nasce no solo fértil do Brasil, é rica em vitamina C e deu nesse sucesso botânico, tropical, uma lullabay romântica e pop. A ingenuidade da faixa que me fez querer gravá-la”. Eu estou “apelidando” essa faixa de pop tropicalista. Um total resgate das minhas maiores influencias. A percussao sensivel de tubos de PVC do Alberto Menezes e magica. E os backings da incrivel Kana Shimanuki e um Verdadeiro presente aos ouvidos.

Musicalmente como vc descreve a musica? 

A “Pé de Maracujá” é um MPB moderno desprovido de qualquer modismo. Fazemos essa musica de dentro do nosso coração pro mundo. Eu Queria que ela representasse o carinho nordestino, a coragem do sertão e a abundancia da floresta tropical. Quando coloco alto no meu fone de ouvido eu olho e posso até ver cores e formas botânicas. O toque feminino dos vocais foi aficionado nos últimos mixes da musica. Eu achei que o que faltava era o charme feminino na musica. 

O que essa faixa diz sobre o seu álbum? 

Ela é um resgate do meu Brasil. Morando aqui em Los Angeles e representando o Brasil em todos os meus shows e participações. Tenho honra de ser Brasileiro. Também quero que o Português do Brasil seja reverberado pelo mundo pela arte, dança e também pela música. Essa faixa traz a minha autenticidade como artista o meu sotaque Carioca, belos violinos do Tomaz Soares. Cantei ela com todo o meu corpo. Fiquei imaginando o nascente do Sol quando fui gravar os vocais.

Ha alguma curiosidade desse lancamento que voce queira destacar? 

Assistam o vídeo!!! Esta tudo lindo. O vídeo foi todo gravado no Rio de Janeiro eu

aproveitei uma visita familiar, em dezembro, ao Rio de Janeiro, para gravar, por paisagens de Botafogo, Flamengo e Glória. O clipe é marcado pelo poético trabalho visual do artista carioca Márcio de Carvalho, 54 anos, que ficou conhecido por marcar a paisagem da cidade com palavras escritas a tinta, o “Tinha uma palavra no meu caminho”. 

Respostas de Leopold Nunan

Loham e Conceição de Mariana fazem um quebra-quebra brincalhão em “Barulhinho Bom”

O que provoca a música em sua letra e qual sua mensagem?

[resposta de Conceição] A música questiona os estabelecimento de papéis sociais fixos nas relações e propõe uma brincadeira com as possibilidades que extrapolam esses mesmos papéis. 

Como e por que surgiu essa música? 

[resposta de Loham] Surgiu do encontro de dois amigos no grupo de compositores locais de Goiânia (OCLAM), dialogando sobre sair da mesmice. Eu escrevi os versos iniciais e convidei a Conceição para criarmos juntos. Ela então trouxe um novo tom à canção.  

O que temos em “Barulhinho Bom” da música e cultura brasileira? 

[resposta de Conceição] Brasilidade com leveza e rebeldia, música boa fora do eixo mercadológico (Goiás e Amapá). Produzida em solo goiano com requintes do interior, de maneira original, sincera, e fresca, extrapolando as formas que já vem sido estabelecidos nos lançamentos, sobretudo em Goiás.

Há alguma curiosidade sobre este lançamento que você gostaria de destacar? 

[resposta de Loham] Algumas pessoas viram relação entre essa música e o álbum homônimo da Marisa Monte, amamos esse trabalho e toda a obra dela mas de fato não se trata de uma referência direta, foi uma feliz coincidência. 

Afinal, quem é Loham e Conceição de Marianna e o que essa música diz sobre vocês? 

[resposta em conjunto] Loham é um artista e criador amapaense que empresta seu axé ao solo goiano diariamente e Conceição é uma goiana nascida e criada na Vila Nova (Goiânia). Ambos corpos dissidentes, marrons, sertanejos do futuro, e LGBTQIA+, provam e dispõem leveza e doçura na crítica aos papéis de gênero nas relações e fazem isso com graça, tranquilidade e até mesmo sensualidade.

Soul music com samba; é a façanha de Leandro Lehart em regravação de clássico da música americana

Em resumo, o que é esta música? 
Esta é a segunda faixa do projeto “Samba Soul”, meu 12º álbum solo. Neste projeto, revisito sucessos internacionais de décadas passadas incluindo o jeito brasileiro de tocar.

Como e por que você escolheu esta música?
Escolhi regravar essa música porque ele é um clássico que sempre esteve presente nas festas onde eu ia dançar,  e certamente uma das músicas mais especiais da minha vida.

⁠⁠Musicalmente, como você a descreve?
Uma versão minimalista brasileira de um clássico da música americana, que resultou na mistura sonoramente especial entre o samba e a soul music.

⁠⁠Há alguma curiosidade que você queira destacar?
O cavaquinho fazendo o papel da guitarra de George Benson, e os arranjos dos vocais também são destaque nessa nova versão de “Give me the Night”.

Respostas de Leandro Lehart

IGOR B. escreve uma carta de resiliência em mais uma canção de amor

O que provoca a música em sua letra? 

Sinto que ela provoca uma sensação de conforto e de resiliência a partir do momento que entende que o abraço de quem se ama ser o lugar mais seguro e aconchegante que existe. A resiliência esta em admitir isso, pois todos sabemos o quanto ficamos vulneráveis quando amamos. Hoje muitas pessoas pregam individualidades, autonomia, independência, mas esquecem todas as outras coisas que a escolha da vida a dois e um amor profundo podem proporcionar. Talvez pelo medo de sofrer e de se machucar, cada vez mais as pessoas criam mecanismos para se blindar disso…

Como e por que surgiu esta música? 

É uma letra antiga que fiz num momento em que estava profundamente apaixonado e entregue a um amor. Precisava manifestar e dizer isso e veio na forma dessa canção. 

O que temos em “Seu Abrigo” em termos de sonoridade/musicalidade? 

Definir e categorizar musica é sempre muito difícil porque te coloca em prateleiras pré-definidas, enquanto o que realmente importa é como as pessoas sentem e se conectam com a canção.  Mas entendo que essa roupagem coloca ela como RnB com influência do rock, onde tentamos conciliar beats graves e guitarras marcantes com a excelente produção de Paulinho Moreno.

Há alguma curiosidade sobre este lançamento que você queira destacar?

É uma letra antiga que para a qual eu tinha apenas a melodia da voz. Gravei uma voz guia sem nada pelo celular mesmo e mandei pro Paulinho que sentiu tudo que a canção precisava, as dinâmicas, os momentos, as nuances, e a fez assim perfeita e trazendo ainda melhores possibilidades pra voz que eu tinha originalmente imaginando. Isso é mágico no ato de fazer música, né?! rs

Afinal, quem é Igor B. e o que esta música diz sobre você? 

Acho que ela traz um marco importante pra minha obra por que apresenta um Igor que também pode ser romântico e poético. Fazendo canções que dizem muito, mas ao mesmo tempo, sem precisar de tantas palavras. Uma coisa mais de emoção e sentimento, saca?! Esse cara também existe em mim e é algo que devo trabalhar mais algumas vezes no futuro. Vocês vão ver. E acho que vão gostar, porque tem muita coisa no forno, sendo gestada. Algumas nessa linha também.

Respostas de IGOR B.

“Underground Love”: pop rock limpo de Bruno Brocchi anseia uma vida além do supérfluo

O que diz a letra da música?

A letra de “Underground Love” fala sobre a busca incessante por um amor autêntico em meio a um cenário de desilusão e falsas promessas. Eu busquei retratar a jornada de uma pessoa que se sente como uma sombra perdida em uma cidade solitária, procurando algo que parece impossível de encontrar. A música explora o desejo de buscar algo verdadeiro, mesmo que isso signifique enfrentar decepções e mentiras ao longo do caminho.

Qual a mensagem dela ao mundo?

A mensagem de “Underground Love” é sobre a autenticidade e a coragem de buscar algo real em um mundo que muitas vezes oferece apenas superficialidade. É uma celebração do amor verdadeiro e das conexões genuínas, que muitas vezes estão escondidas sob a superfície. A música convida as pessoas a olharem além das aparências e procurarem algo que realmente ressoe com seus corações, mesmo que isso signifique se desviar do caminho mais fácil e enfrentar desafios.

Como e por que a música surgiu?

Algumas músicas que escrevo são baseadas em experiências pessoais, mas eu diria que “Underground Love” surgiu de uma mistura de histórias que eu ouvia e observava, além de um pouco de experiência pessoal de desilusão amorosa e busca por algo verdadeiro. Me lembro que estava andando por um aeroporto quando a ideia do refrão e a melodia surgiram, e imediatamente gravei o rascunho no meu celular – isso foi em 2014! Essa ideia de canção ficou dançando na minha cabeça até que em 2020, durante o período da pandemia, resolvi trabalhar em finalizá-la. A gravação aconteceu entre 2022 e 2023, sendo gravado parte na Espanha e parte no Brasil.

Musicalmente, como definir esta música?

Musicalmente, “Underground Love” pode ser definida como uma fusão de pop rock com elementos de “indie”. Acho que ela também remete um pouco aos anos 80, no sentido de que é uma música “acessível” e orgânica, sem muitos instrumentos eletrônicos. Acredito que a música traz uma energia positiva e emocional, com guitarras marcantes e uma linha de baixo que refletem a intensidade da busca descrita na letra. A melodia busca ser cativante e melancólica ao mesmo tempo, capturando a dualidade entre a esperança e a decepção.

Há alguma curiosidade sobre o lançamento que você queira destacar?

Uma curiosidade sobre “Underground Love” é que ela demorou 10 anos para ficar pronta, entre a ideia inicial e o lançamento. Gravei os vocais dela no meu estúdio caseiro na Espanha, onde estou morando, e os instrumentos foram gravados no Brasil, em parceria com o talentoso músico e produtor Ale Cavena, que também foi responsável pela mixagem. Outra curiosidade é que para a etapa final na produção da canção, que é a masterização, escolhi fazer no lendário estúdio Abbey Road, em Londres. O engenheiro de som que masterizou a “Underground Love” foi Sean Magee, que já masterizou projetos do Elton John, Rolling Stones, Beatles e Rush. 

Respostas de Bruno Brocchi

administrator
Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.