21 de maio de 2024
Entrevista Entrevistas Marcantes Música

Como um bom remédio para a alma, apresentamos o duo Sagrada Medicina

Divulgação

Na contra maré do que estamos acostumados a ouvir por aí, chegou ao Brasil (e ao mundo), o duo Sagrada Medicina, integrada pelo casal Talles e Isa Montenegro. O projeto surgiu em 2017, com o despretensioso disco “Os Versos Astrais”, que, no entanto, despertou os artistas para esse caminho musical.

O som do duo é autoral, e fruto das próprias experiências transcendentais com a Ayahuasca, assim como a ligação com a cultura do Xamanismo, tendo obras artísticas e pensadores do ramo como norte para muitas de suas composições.

“Em geral, procuramos escrever sobre autoconhecimento e expansão da consciência. Se para isso precisarmos contar uma lenda indiana (como por exemplo a música “O amor de Krishna”), a gente conta. Gostamos da possibilidade que os mantras nos dão também. Principalmente quando a gente toca ao vivo que dá pra sentir mais a interação com o público.”, explica Talles.

Apesar desse contato lírico (talvez não muito comum no Brasil), o duo se considera brasileiríssimo. “Somos bastante influenciados pela música brasileira dos anos 60 e 70, em especial aquela galera mais da MPB experimental (ricos em sons e temas). Mas gostamos muito de trazer alguns elementos de outras culturas como alguns instrumentos usados na música tradicional da Índia.”, pontua Talles.

Como bons artistas, Talles e Isa também querem o seu querido lugar ao sol dentro da nossa música brasileira. No entanto, algo fala muito mais alto que isso: a grande vontade de que suas músicas sejam remédios para a alma, uma verdadeira medicina. “Queremos criar um trabalho consistente de expansão da consciência através da música e alinhado com uma cultura de paz que a gente acha que o mundo precisa.”, conta Isa.

Toda essa história conceitual do duo acaba, algumas vezes, “assustando” aqueles que conhecem suas músicas. “Em geral, sempre que alguém tem um primeiro contato com nossa música, é normal nos taxar de música ‘espiritual’ ou até mesmo religiosa. Mas o fato é que a gente apresenta um repertorio que já foi muito celebrado na música popular brasileira.”, diz Talles.

Talles continua sua explicação: “Crescemos ouvindo grandes artistas como Clara Nunes, Ronnie Von, até mesmo Roberto Carlos e o pessoal da Bahia que sempre cantaram em seus repertórios o folclore místico de nosso país. Portanto, de certa forma, tematicamente, a gente ta dando apenas uma atualizada numa proposta temática que já foi muito trabalhada no passado. Somos parte deste resgate, como outros artistas e grupos atuais também são e somos felizes com isso.”

O duo atualmente tem um álbum e seis singles lançados, todos disponíveis nas plataformas digitais. O mais recente lançamento é “O amor de Krishna”, canção que retrata muito do que estes artistas tem a entregar ao mundo. Confira!

administrator
Fundador e editor da Arte Brasileira. Jornalista por formação e amor. Apaixonado pelo Brasil e por seus grandes artistas.