30 de maio de 2024
Notícia

“Tudo Vira Moda” é novo álbum da banda paulistana Kanduras

Criada pelo jornalista Raphael Thebas (voz e guitarra) e pelo percussionista Junior Breed (bateria) há quase 10 anos, a Kanduras virou um nome constante no cenário da música independente paulistana com canções que misturam a MPB, o Rock e o Indie para narrar o cotidiano de quem vive na metrópole. Ao todo, a banda já divulgou 4 EP’s e o seu disco de estreia, o “Dístico”, chegou em 2020. Renovados com novas influências e novos integrantes, eles apresentam agora o álbum “Tudo Vira Moda”, que tem o cheiro dos anos 90 e conta com a participação especial de Samuel Samuca (Samuca e a Selva), Luiza Kolya e também da banda Vitrola Sintética, 

Três anos, esse foi o tempo que a Kanduras precisou para experimentar, criar, recriar e depois ressurgir mais madura e coletiva. Em “Tudo Vira Moda”, o quarteto, agora completo com o professor Thomaz Marra (guitarra) e André Bedurê (baixo), volta mais divertido, dançante, crítico e reflexivo.

“Assumir o baixo deixado pelo querido Marcelo Gasperin me colocou numa posição que adoro jogar, a de músico e produtor”, comenta Bedurê, produtor veterano que trabalhou com a banda no disco anterior e já colaborou também com Luiz Melodia, Zeca Baleiro e outros grandes nomes.

Musicalmente livre, “Tudo Vira Moda” é resultado do trabalho de artistas de gerações diferentes. Por isso, quem ouve tem a possibilidade de conhecer a sonoridade singular de uma banda que se compromete a explorar a diversidade das referências de seus integrantes, que vai da MPB ao Pop, do Punk ao Reggae e do Rock ao Jazz.

Ao todo são 10 canções, através delas a banda compartilha, de um ângulo bem intimista, crônicas sobre tudo aquilo que é ou ainda pode ‘virar moda’. Amor, desamor, intolerância, guerra, sonhos, novos amores, esperança e até mesmo a maneira como qualquer coisa pueril conquista projeção. 

“Percebi que o álbum é sobre aquilo que vira cotidiano e como nem tudo que vira moda é bom”, complementa Raphael Thebas, que assina a maioria das letras sozinho ou em dupla com Thiago Romaro.

O álbum nasceu dessa parceria entre Thebas e Romaro, cantor, escritor e psicólogo que entrou oficialmente para o grupo em 2020, participou dos EP’s “Cidade-Saudade” (2020) e “Horizonte Na Estrada” (2021) e deixou a banda logo na sequência, mas não sem antes presentear o grupo com três canções de sua autoria: “Bomba Por Aí”, “Rei do Asfalto” e “Recife”.

Fruto de uma produção coletivista e experimental orquestrada por André Bedurê, os arranjos de “Tudo Vira Moda” ganharam corpo em uma imersão que o grupo fez. Isolados em um sítio, longe de tudo que não é música e ao ar livre. As gravações aconteceram nos estúdios da Casa Rockambole, com mixagem por Gabriel Martini e masterização por Carlos Bechet.

Algumas faixas estão disponíveis em nossas playlists rotativas

Faixa a faixa: “Tudo Vira Moda” por Kanduras

Capa do disco “Tudo Vira Moda” | Crédito: Fernando Vianna

1 – “Vou Te Buscar”

Composição: Raphael Thebas

“Composta por Raphael Thebas durante tempos de pandemia, ‘Vou Te Buscar’ inicialmente era um samba rock, mas passou por mudanças no processo dos ensaios. Os arranjos tiveram nova roupagem graças ao baixista da Kanduras e produtor do álbum, André Bedurê, com influências extremamente diversas na música brasileira, Indie rock e no grupo Jackson 5.”.

2 – “Mel da Liberdade” part. Luiza Kolya

Composição: Raphael Thebas

“É uma canção sobre um amor despretensioso, em que se pode ter conclusões distintas sobre o que é e o que será”.

3 – “Bomba Por Aí” part. Vitrola Sintética

Composição: Thiago Romaro

“Uma canção de alerta sobre os últimos acontecimentos no Brasil e no mundo. Uma crescente de pessoas cada vez mais cegas por uma ideologia de direita extremista, que estão dispostas a ir até as últimas consequências para fazer cumprir os desejos delirantes deles próprios.

4 – “Tudo Vira Moda”

Composição: Marco Antônio

“Narra de forma discreta como qualquer coisa pueril pode hoje alcançar projeção e cita o momento narcisista das relações humanas”.

5 – “Gaveta do Meio”

Composição: Raphael Thebas

“Primeiro veio o refrão e depois a ponte e verso, foi uma canção feita de trás pra frente. É sobre alguém que foi e não pôde voltar e também sobre a necessidade de enfrentar o desconhecido e a barbárie. É uma canção também política”.

6 – “Intención” part. Samuel Samuca

Composição: Raphael Thebas e Thiago Romaro

“Essa tem uma pegada latina, vários elementos de percussão interessantes, piano e sopros super marcantes. A voz e a interpretação do Samuca caíram como uma luva nessa canção que tem umas levadas de guitarra baseadas em brega paraense, calypso”.

7 – “Rei do Asfalto”

Composição: Thiago Romaro

“A música, que não é inédita, dá nome ao álbum solo de Thiago Romaro. Na versão ‘Kandureira’, a canção ganha uma roupagem SKA contrastando com a letra que fala sobre um alguém que, após perder a pessoa amada, vai viver na rua onde tudo tanto faz”.

8 – “No Ombro de Alguém”

Composição: Raphael Thebas e Thiago Romaro

“Fala sobre se contentar e seguir em frente, ou, se arrepender e tentar salvar aquilo que vale a pena ser salvo. Outra canção com metáforas imagéticas que vão ganhando forma em nossa imaginação enquanto a escutamos”.

9 – “Troco de Pista”

Composição: Raphael Thebas e Thiago Romaro

“Fala de um amor que, apesar das diferenças, vale a pena um investimento para que ele dê certo. A canção é uma crônica e traz imagens bonitas de uma relação a dois”.

10 – “Recife”

Composição: Thiago Romaro

“É uma homenagem a Recife e alguns de seus grandes nomes, a letra faz alusões à música ‘La Belle de Jour’, de Alceu Valença, e convida os poetas pernambucanos, Marcelino Freire, Miró da Muribeca e Bel Puã a tomarem uma cerveja antes do almoço, com o eu lírico da canção, que quer se mudar pra Recife”.

Ficha técnica 

Kanduras:
Raphael Thebas – Voz, guitarra e violão
Junior Breed – Bateria e percussão
André Bedurê – Baixo, voz e piano
Thomaz Marra – Guitarra, violão, viola e voz
Thiago Romaro – Guitarras

Participações especiais:
Samuel Samuca – Voz em “Intención”
Vitrola Sintética – Vozes, guitarras, teclados, efeitos em “Bomba Por Aí”
Luiza Kolya – Voz em “Mel da Liberdade”

Sopros
Marcelo Monteiro – Sax tenor
Amilcar Rodrigues – Trompete
Simone Julian – Clarinete

Gabriel Martini – Mixagem
Carlos Bechet – Masterização
André Bedurê – Produção musical
Gravado na Casa Rockambole

Release e assessoria de imprensa: Cainan Willy

Show de Estreia

A primeira apresentação ao vivo de Kanduras com o repertório do disco “Tudo Vira Moda” já tem local e data. O evento acontecerá no Sesc 24 de Maio no dia 10 de agosto.

Serviço:

Kanduras estreia o disco “Tudo Vira Moda” no Sesc 24 de Maio
Data: 10 de agosto
Onde: Sesc 24 de Maio

CRÉDITOS

Capa da publicação | Crédito: Fernando Vianna

Foto no meio da publicação | Capa do álbum “Tudo Vira Moda”, por Fernando Vianna

Texto da assessoria de imprensa (Cainan Willy)